Urgente: Witzel é afastado do governo do Rio pelo STJ

O governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel foi afastado do cargo nesta sexta-feira (28) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).Segundo informações do G1, por volta das 6h20, carros da Polícia Federal (PF) chegaram ao Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, para notificá-lo.

O STJ expediu também mandados de prisão contra Pastor Everaldo, presidente do PSC; Lucas Tristão, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do estado; e Sebastião Gothardo Netto, médico e ex-prefeito de Volta Redonda. Os alvos dos mandados de busca e apreensão foram a primeira-dama, Helena Witzel; o presidente da Assembleia Legislativa do Rio, André Ceciliano; e o Palácio Guanabara, sede do governo.

Expedidos pelo ministro Benedito Gonçalves, os mandados são decorrentes de duas operações: Favorito e Placebo. Ambas foram deflagradas em maio pela Polícia Federal (PF) no âmbito de investigações sobre irregularidades na saúde. A delação premiada do ex-secretário de Saúde do governo Witzel, Edmar Santos, também corroborou para o afastamento do governador.

LEIA TAMBÉM:

Flordelis manteve relações sexuais com filho adotivo

Damares e Bolsonaro anunciam perseguição a ex-presos políticos na ditadura; assista

Boulos ‘mandou à merda’ defensor do torturador Ustra na Jovem Pan; veja

De acordo com o portal, no pedido, a PGR afirma que o governo estabeleceu um esquema de propina para contratação emergencial e para liberação de pagamentos a organizações sociais que prestam serviços ao governo, especialmente na saúde e na educação.

Na avaliação do órgão, Witzel usou o escritório de advocacia da mulher, Helena, para receber o dinheiro desviado por intermédio de quatro contratos simulados em valor próximo a R$ 500 mil.

Wilson Witzel, oriundo do bolsonarismo, foi eleito com a bandeira do combate à corrupção.

Em breve mais informações.