Requião defende candidatura única das oposições em 2022

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) foi entrevistado na manhã desta segunda-feira (31) pelo canal na internet do jornalista Fábio Pannunzio.

Pannunzio abriu espaço para o emedebista se manifestar sobre a importância do caso Banestado, as famosas contas CC5, e a divulgação de documentos pelo canal Duplo Expresso –de Romulus Maya.

Requião classificou a briga entre “gerentes” de blogs como “guerra de bugios” e disse que as divergências precisam ser resolvidas para aprofundar as investigações do caso Banestado.

Sobre o Brasil, o emedebista mostrou preocupação com a queda do PIB (Produto Interno Bruto), o desemprego, a falta de consumo e de produção. Para Requião, é hora de a oposição pensar o Brasil apresentando um projeto transitório e candidato único à Presidência da República em 2022.

“É preciso um projeto transitório, candidato único, nesse cenário de queda no PIB provocada pela covid-19. Temos que recuperar os empregos e a produção, pensar mais no Brasil”, discursou o ex-senador Roberto Requião.

Embora advogue pela candidatura única das oposições, Requião continua firme contra a ideia da “frente ampla”. Segundo ele, foi esse frentismo que detonou o governo de Dilma Rouseff e possibilitou o surgimento de Jair Bolsonaro na Presidência da República.

“Foi um acidente de percurso”, disse, referindo-se a Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM
Requião estreia como ‘coach’ nas eleições 2020

Requião: “Infame a comparação que a Folha fez entre Dilma e Bolsonaro”

Requião diz que se Lula for candidato será preso novamente

Haddad vira a “arma secreta” do PT nas eleições de 2020

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi convertido numa espécie de “arma secreta” do PT nas eleições municipais de 2020.

Ex-ministro da Educação do governo Lula, Haddad irá participar na próxima quinta-feira (3) do lançamento da pré-candidatura de Paulo Opuszka à Prefeitura de Curitiba.

Com o tema “Futuro de Curitiba”, do PT anuncia uma live com Haddad para a largada da pré-campanha rumo ao Palácio 29 de Março –sede do executivo municipal da capital paranaense.

A proposta do PT é aproveitar a liderança e a experiência de Haddad para qualificar o debate sobre soluções para os problemas de Curitiba e engajar a militância na pré-campanha do partido.

Quando prefeito, entre 2012 e 2016, Haddad foi premiado como melhor prefeito da América Latina pelo Mayors Challenge (Desafio dos Prefeitos).

Paulo Opuszka, o pré-candidato do PT em Curitiba, afirma que pretende incorporar as experiências inovadoras da gestão Haddad em São Paulo ao programa de governo do PT.

A live Opuszka/Haddad será às 19 horas da próxima quinta, dia 3.