Covidão: Ex-secretário da Saúde de Roraima e deputado são alvos de operação da PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (13) uma operação em Roraima para investigar suspeitos de integrarem uma organização criminosa criada para fraudar licitações de produtos e serviços para o combate da Covid-19.

Batizada de Vírion, a operação cumpre 36 mandados de busca e apreensão em oito estados (AM, BA, GO, MG, RS, PA, RR, SC) e no Distrito Federal. Entre os alvos estão o ex-secretário de Saúde de Roraima, Francisco Monteiro Neto, e o deputado estadual Jeferson Alves (PTB). As ordens judiciais foram expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

As investigações das fraudes apontam irregularidades de cerca de R$ 50 milhões na aquisição pelo governo do estado de Roraima de insumos médico-hospitalares básicos, respiradores, testes rápidos, material informativo impresso e leitos em hospitais particulares.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro promove aglomero em Belém (PA); assista ao vídeo

Folha e Estadão defendem mais privatizações em editoriais

É tanto dinheiro que Flávio Bolsonaro nem lembra como comprou imóveis

Segundo a PF, Monteiro Neto e Jeferson Alves teriam se articulado para direcionar contratações para empresas integrantes do esquema criminoso, inclusive feito o rateio de percentuais de quanto seria direcionado para cada empresa.

O governo do estado de Roraima divulgou nota em que afirma que o ex-secretário da Saúde foi exonerado em maio pelo governador Antonio Denarium (PSL) após serem constatados indícios de irregularidades na gestão da secretaria da Saúde (Sesau).

“A denúncia foi encaminhada pelo Governo aos órgãos controladores do Estado, a exemplo da Controladoria-Geral do Estado e Tribunal de Contas do Estado, para providências”, diz a nota.

“Em ato contínuo, o governo conseguiu o ressarcimento por meio da Justiça do valor de R$ 6 milhões pagos pela compra de respiradores”, completa, acrescentando que outros servidores também foram exonerados.

Com informações do G1 Roraima