Moro era entusiasta da reforma agrária, revela Requião à CNN Brasil

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR), presidente da Frente Ampla pela Soberania, afirmou à CNN Brasil, nesta terça-feira (16), que o ex-juiz Sérgio Moro era “vermelhinho” e um entusiasta da reforma agrária.

Segundo o ex-parlamentar, ele e o ex-juiz Moro fizeram várias operações conjuntas e o então magistrado chegou a se reunir com o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, para sequestrar terras de traficantes para fins da reforma agrária.

Na entrevista, Requião disse que quando era governador do Paraná chegou a se encantar com Moro quando o então juiz defendia da reforma agrária.

“Eu lembro de uma vez que o Sérgio procurou o governo [do Paraná porque ele dizia que fazendas de narcotraficantes no Paraguai podiam ser sequestradas, segundo o direito internacional, e poderia iniciar uma reforma agrária”, contou.

LEIA TAMBÉM

“Ele procurou Fernando Lugo. Eu liguei pra o presidente do Paraguai e meu secretário da Segurança [Luiz Fernando Delazari] embarcou com ele no dia seguinte”, relatou.

O testemunho de Roberto Requião, com certeza, eleva o ex-juiz Sérgio Moro à condição de comunista. O “Russo” foi promovido, de acordo com a métrica bolsonarista.

A graça nisso tudo é porque, hoje, Moro agora só anda com a banda neoliberal da política.

Fora da transmissão da CNN, Requião costuma dizer que Sérgio Moro –assim como o presidente Jair Bolsonaro– fora eleitor do PT e que o primeiro voto do ex-juiz da Lava Jato, em 1989, foi no ex-presidente Lula.

Assista ao vídeo com a declaração de Requião: