Carlos Bolsonaro é alvo de pedido de cassação na Câmara de Vereadores do Rio

O Conselho de Ética da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro recebeu nesta segunda-feira (8) um pedido de cassação do mandato de Carlos Bolsonaro, vereador pelo Republicanos e filho do presidente Jair Bolsonaro.

Apesar de ser vereador no Rio, Carluxo opera de Brasília o chamado “gabineto do ódio”, uma rede de sites e perfis falsos nas redes sociais para atacar opositores do governo Bolsonaro.

O documento, assinado pelo vereador Leonel Brizola Neto (PSOL), indica que Carlos ignora o decoro parlamentar nas suas manifestações.

O pedido cita o exemplo de quando Carlos sugeriu que Brizola “queima ou cheira” ou ainda quando acusou vereadores do PSOL de usarem drogas.

LEIA TAMBÉM:

Governo recua e desiste de usar dinheiro do Bolsa Família em publicidade

PGE é favorável ao compartilhamento de provas contra Bolsonaro do STF com o TSE

Enxofre é o perfume do Capeta e não remédio para a Covid-19; assista

“Carlos Bolsonaro, como o pai, não está preocupado com o sofrimento do povo. Tudo que faz nas sessões é criar confusões, xingar os colegas e atrapalhar o andamento dos trabalhos”, argumentou Brizola.

O Conselho de Ética ainda não decidiu a data para examinar o pedido.