Bolsonarista Ernesto Lacombe, do ‘Aqui na Band’, deixa a TV Band

A Band anunciou na tarde desta quinta-feira (25) que o jornalista Luís Ernesto Lacombe decidiu deixar a emissora. O apresentador comandou o programa “Aqui na Band” até quarta-feira (24), quando a direção da Band resolveu intervir na atração.

Nos bastidores circula a informação que diretores da emissora estariam insatisfeitos com pautas vistas como tendenciosas e a favor do presidente Jair Bolsonaro.

Lacombe e Nathalia Batista, que comandava o programa ao lado dele, já tinham sido suspensos da atração, assim como o diretor Vildomar Batista.

Recém-contratada pela emissora, Mariana Godoy deve assumir o Aqui na Band ao lado de outro nome de peso, que o canal deve anunciar nos próximos dias. Os mais cotados são Zeca Camargo, colunista da Folha de São Paulo, Fernando Rocha e Dony De Nuccio.

“A Band informa que o programa Aqui na Band está passando por reformulações. Diante desse novo momento, o jornalista e apresentador Luís Ernesto Lacombe decidiu seguir novos caminhos.
A Band agradece ao jornalista pelo trabalho sempre correto e bem-sucedido que ele desempenhou à frente do Aqui na Band desde a sua estreia. As portas da emissora permanecem sempre abertas para ele”, informa em nota a emissora.

LEIA TAMBÉM:

Pedidos de seguro-desemprego disparam 35% na primeira quinzena de junho

‘Aqui na Band’ sai do ar por ser ‘chapa branca’ bolsonarista

Novo ministro da Educação aprovou licitação de 30 mil computadores para escola com 255 alunos

Antes do anúncio da sua saída, Lacombe já tinha postado uma mensagem nas redes sociais com uma imagem ao fundo de Ruy Barbosa, e escreveu: “Meu avô materno [o historiador Américo Jacobina Lacombe], imortal da Academia Brasileira de Letras, dedicou a vida a organizar e publicar toda a obra de Ruy Barbosa. Os dois eram grandes defensores da liberdade, da democracia e da justiça. Sigo os passos deles… Momentos de silêncio também são capazes de construir.”

O programa “Aqui na Band” foi um fracasso completo de audiência – muitas vezes não chegava a marcar 1 ponto na Grande São Paulo (cada ponto equivale 74.987 domicílios).