Quase 190 mil militares receberam indevidamente o auxílio emergencial de R$ 600

189.695 militares da ativa, da reserva, reformados, pensionistas e anistiados receberam o auxílio emergencial destinado aos trabalhadores informais, MEIs e famílias carentes por causa da pandemia.

A informação é um verdadeiro escândalo, pois esses militares não estão de maneira nenhuma nos grupos que precisam do auxílio, e quase 190 mil não pode ser considerado um “caso isolado”.

O Ministério da Defesa disse que “verifica a possibilidade de recebimento indevido de valores referentes ao auxílio emergencial, concedido pelo Governo Federal no período de enfrentamento à pandemia do coronavírus, por integrantes da folha de pagamentos deste Ministério”.

As irregularidades, segundo a Defesa, foram identificadas com o apoio do Ministério da Cidadania.

A pasta acrescenta: “Neste sentido, estão sendo adotadas as medidas para apuração do ocorrido, visando identificar se houve valores recebidos indevidamente, de modo a permitir a restituição ao erário e as demais considerações de ordem administrativo-disciplinar, como necessário”.

Enquanto isso, as filas nas agências da Caixa Econômica Federal seguem enormes, expondo milhões de brasileiros aos riscos de contágio pelo Coronavírus.

Com informações do Correio Brasiliense

Brasil tem mais de 11 mil óbitos por coronavírus; 396 nas últimas 24h

O Ministério da Saúde informou, nesta segunda-feira (11) novos números sobre o avanço da pandemia do novo coronavírus no país. Até o momento, são 11.519 óbitos registrados e 168.331 casos confirmados. A taxa de letalidade é de 5,5%.

O número de casos deu um salto em 24 horas, com 5.632 confirmações em 24 horas. Além disso, foram 396 óbitos contabilizados no mesmo período.

A fim de conter o avanço da doença, o governo de São Paulo ampliou a quarentena no estado até dia 31 de maio. Seguindo o anúncio do governador, o prefeito Bruno Covas afirmou que o período de isolamento também será extendido na capital pelo mesmo período.

No fim de semana, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) decretaram luto oficial por três dias. Até o momento, o governo Bolsonaro não apresentou um pedido de condolência às famílias e parentes dos mortos pela Covid-19 no país.

LEIA TAMBÉM
Brasil pode ter mais de 1,6 milhões de casos de coronavírus, diz estudo

Em Brasília, quem não usar máscara será multado a partir de hoje

Bolsonaro profana o luto e debocha das mortes pela Covid-19

No mundo
O novo coronavírus já infectou mais de 4,1 milhões de pessoas em todo o mundo, um marco alcançado apenas cinco meses depois de ter surgido na cidade chinesa de Wuhan. O número de mortos pela Covid-19 superou a marca de 283 mil mundialmente. Cerca de 1,42 milhão de pessoas se recuperaram da doença