Metalúrgicos denunciam avanço dos casos de coronavírus nas empresas

O Sindicato dos Metalúrgicos de São dos Campos tem denunciado o avanço dos casos de coronavírus entre os trabalhadores da região do vale do Paraíba, base de atuação da entidade sindical.

“Apesar dos milhares de mortos por covid-19 no Brasil, muitas fábricas que desempenham serviços não essenciais continuam produzindo normalmente em nossa região. Registrados nas empresas Ball e Mirage, os primeiros casos de metalúrgicos infectados denunciam a ganância dos patrões e a necessidade de adoção do isolamento social”, diz a entidade.

A Ball, em Jacareí, confirmou, na segunda-feira (4), o contágio de um supervisor. Há outros dois funcionários afastados por problemas de saúde ainda desconhecidos. O fato fez aumentar a suspeita de proliferação do vírus na fábrica.

A Ball conta com 160 trabalhadores diretos e 100 terceirizados. A possibilidade de contágio dentro das instalações é grande, visto que há diversas áreas compartilhadas pelos funcionários. O restaurante da unidade, em especial, é ponto de aglomeração.

Dirigentes do Sindicato estiveram em frente à Ball, na entrada do primeiro turno, nesta terça-feira (5), para alertar os metalúrgicos sobre os riscos de estarem trabalhando normalmente.

O Sindicato vai requisitar, junto à Gerência Regional do Trabalho e Emprego, o início das negociações com a Ball para exigir o afastamento dos metalúrgicos. Também será protocolada uma denúncia no Ministério Público.

LEIA TAMBÉM:

Coronavírus: Baladas privês e turbinadas continuam em Jurerê Internacional

URGENTE: Vaza a íntegra do depoimento de Moro contra Bolsonaro na Polícia Federal

“Lockdown” para combater o avanço da covid-19 entra em vigor em São Luís

MNetalúrgicos da Mirage, na zona sul de São José dos Campos, confirmaram que ao menos dois trabalhadores testaram positivo para covid-19. Ambos já retornaram ao trabalho.

Para combater o risco de contágio entre os trabalhadores, o sindicato defende a quarentena geral para todos os profissionais, exceto os que atuam em setores essenciais.

Em março, ainda no início da pandemia no Brasil, uma greve organizada pela entidade garantiu o afastamento de até 82% dos metalúrgicos em fábricas da região.

O sindicato tem defendido que é preciso manter os trabalhadores em casa sem qualquer perda de salários e direitos, com licença remunerada e o pagamento de 100% do salário líquido.

A Medida Provisória (MP) 936, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, permite a redução de salários e direitos dos trabalhadores. Por isso, é insuficiente para garantir a qualidade de vida e saúde.

Da mesma forma, a quarentena decretada pelo governador João Dória está longe de ser ideal, pois permite que mais de 70% das atividades continuem. É o caso da Ball e Mirage, que mantêm seus empregados expostos ao novo coronavírus.

*As informações são do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos