Crescem as chances de impeachment de Bolsonaro

Publicado em 9 maio, 2020

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem ampliado o fosso entre a realidade e seu mundo particular recheado de ironias, piadas, apatias, ódios, preconceitos e malandragens.

Na política concreta, os partidos e entidades da sociedade civil veem aumentar as chances de impeachment –a despeito de Bolsonaro tentar “cooptar” com cargos o Centrão.
Para barrar a abertura de um processo na Câmara, o presidente da República precisa reunir 171 votos, ou um terço da Casa.

Numa conta elástica, hoje, Bolsonaro teria cerca de 159 votos contrários ao impeachment.

Então, vamos aos números das bancadas na Câmara.

Bolsonaro não tem partido, logo ele lidera “zero” parlamentares –embora exista uma bancada que se diz “governista”.

GOVERNISTAS:

  • PSL – 25 deputados*

CENTRÃO:

  • PP – 40 deputados
  • PL – 39 deputados
  • PSD – 37 deputados
  • REP – 31 deputados
  • SD – 12 deputados
  • PODE – 11 deputados
  • PTB – 12 deputados
  • PROS – 10 deputados

SUBTOTAL – 192 DEPUTADOS
Quebra histórica de 30%, ou seja, 58 deputados, logo o governo teria do Centrão 134 votos contrários ao impeachment.

GRUPO RODRIGO MAIA

  • MDB – 34 deputados
  • PSDB – 32 deputados
  • DEM – 28 deputados

SUBTORAL – 94 DEPUTADOS

OPOSIÇÃO

  • PT – 53 deputados
  • PSB – 30 deputados
  • PDT – 28 deputados
  • PSOL – 10 deputados
  • PCdoB – 8 deputados
  • REDE – 1 deputado
  • PSL – 16 deputados*

SUBTOTAL – 146 DEPUTADOS
(*) PSL tem 41 deputados, mas a bancada está rachada.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaristas usam foto de Moro para praticar ‘tiro ao alvo’; assista

STF decreta luto oficial de três dias por mortes de coronavírus no país

Flamengo: Covid-19 ataca 3 jogadores e 10% do departamento de futebol

Brasil supera 10 mil mortes por Covid-19; Bolsonaro debocha passeando de jet ski

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu mais uma demonstração que não está apto a governar esse país, neste sábado (9), ao debochar passeando em um jet ski enquanto o Brasil superava 10 mil mortes por Covid-19.

Ao parar numa lancha que fazia ‘churrasco’ no lago Paranoá, em Brasília, Bolsonaro repetiu como um mantra que 70% dos brasileiros irão pegar o vírus.

O presidente da República torceu o nariz para a recomendação de distanciamento e, ao parar no píer, tirou selfies com admiradores e correligionários.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem hoje 10.627 mortes e 155.939 casos confirmados de coronavírus.

  • 10.627 mortes, eram 9.897 mortes na sexta-feira (8)
  • Foram 730 mortes confirmadas em 24 horas
  • 155.939 casos confirmados, eram 145.238 na sexta-feira (8)
  • Foram 10.701 casos incluídos no balanço em 24 horas
  • 83.627 pacientes estão em acompanhamento
  • 61.685 estão recuperados da doença (39,6%)

Assista ao vídeo:

Bolsonaro, com medo de impeachment, cancela ‘corona-churrasco’ no Alvorada

O presidente Jair Bolsonaro desistiu da ideia de fazer um churrasco no Palácio da Alvorada neste sábado (9), o “corona-churrasco”. Amigos do presidente ouvidos “em off” pelo jornal Folha de São Paulo, comunicaram que Bolsonaro decidiu cancelar na sexta-feira (8) o convite que havia sido feito a ministros e apoiadores do governo.

A repercussão negativa pesou para a decisão de Bolsonaro, que divulgou a realização da inusitada festa em meio a expansão da pandemia do coronavírus no país. Nesta semana, o Brasil registrou 10 mil mortos pela Covid-19.

No mesmo dia em que o país registrou recorde de mortes em 24 horas pelo coronavírus, Bolsonaro fez ironias sobre a realização de um churrasco na residência oficial e chegou a falar em 3.000 convidados em conversa com apoiadores.

Inicialmente, o presidente havia comunicado que faria um churrasco apenas com a presença de sua equipe ministerial, cerca de 30 pessoas, o que foi criticado por deputados e senadores da oposição por desobedecer as recomendações das autoridades de saúde sobre a necessidade de manter o isolamento social.

Bolsonaro ignora, mas Congresso decreta luto por mortes da Covid-19

O Congresso Nacional está em luto de três dias em razão do número de óbitos oficiais do novo coronavírus (covid-19) que deve atingir a marca de 10 mil mortes no país neste sábado (9). O decreto prevendo o luto foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial do Congresso Nacional.

O ato conjunto foi anunciado pelos presidentes das duas casas, Rodrigo Maia (Câmara) e Davi Alcolumbre (Senado). Por meio de nota, ambos informaram que a bandeira nacional localizada em frente ao Congresso ficará hasteada a meio-mastro a partir das 14h.

Também em nota, o Senado informa que, conforme prevê o ato conjunto 2/2020, ficam proibidas quaisquer celebrações, comemorações ou festividades enquanto durar o luto.

“É uma tragédia que nos devasta mais a cada dia. Este Parlamento, que representa o povo e o equilíbrio federativo desta nação, não está indiferente a este momento de perda, de tristeza e de pesar. A situação que estamos vivendo é lamentavelmente singular”, diz a declaração conjunta de Maia e Alcolumbre.

O Brasil é o sexto país com maior número de mortes causadas pelo covid-19, com 9,897 mil óbitos registrados oficialmente até às 13h30 da tarde deste sábado.

O país só fica atrás da França (26,18 mil), Espanha (26,25 mil), Itália (30,2 mil), Reino Unido (31,24 mil) e Estados Unidos (69,88 mil).

Enquanto isso, Bolsonaro marca churrasco e depois diz que era mentira…