Tudo que Ciro Gomes disse no Roda Viva

Compartilhe agora

O Blog do Esmael anotou tudo que Ciro Gomes disse de importante na entrevista do Roda Viva, nesta segunda-feira (16):

    • “Os filhos do Bolsonaro são ladrões!”
    • “Essa é a grande tragédia brasileira: nós temos um irresponsável na Presidência da República, um completo despreparado, excitando a população contra as instituições não pelos defeitos graves que elas têm.”
    • “O lulopetismo é responsável pelo bolsonarismo boçal.”
    • “Para enfrentar essa aberração golpista, não será com as pseudo-elegâncias de uma elite alienada que infelizmente temos no país, alienação essa que contamina parte da dita esquerda brasileira, que se corrompeu no luxo e no aburguesamento do lulopetismo.”
    • “Existiria o bolsonarismo boçal, golpista, se não fosse o lulopetismo?”
    • “Todo mundo sabia que ele [Bolsonaro] roubava dinheiro do gabinete dele com 6 funcionários fantasmas.”
    • “Eu tinha profundo respeito pela imprensa […] eu acho ela essencial para a democracia.”

LEIA TAMBÉM
Fugas coletivas e rebeliões em presídios de São Paulo devido ao coronavírus

Centrais sindicais querem proteção ao emprego e à produção enquanto durar a crise

Congresso, STF e Mandetta assumem o comando e isolam Bolsonaro

  • “Já é flagrante, naquela abertura do COAF, que o Queiroz, que tem 10 mortes nas costas, depositou dinheiro na conta da primeira-dama, a mulher do Bolsonaro.”
  • “Impeachment não é remédio para governo ruim, mas Bolsonaro está exagerando.”
  • “Todo mundo mentindo para o povo de que nós estamos crescendo. O Brasil está proibido de crescer! Está proibido de crescer porque qualquer crescimento explode a conta externa.”
  • “O lulo petismo é parte do problema. Quer dizer que o PT é uma coisa que a gente não deva respeitar? Não, tem muito petista sério. Você já viu o [Eduardo] Suplicy enrolado em alguma pilantragem? O Olívio Dutra, o Tarso Genro, o [Henrique] Fontana?”
  • “Uma coisa é se eleger, outra é governar um país complexo como Brasil.”

Assista a íntegra da entrevista:

Com informações do #RodaViva