Bolsonaro sob cerco: Justiça obriga hospital a mostrar lista de infectados pelo coronavírus

A Justiça obrigou o Hospital que atendeu Bolsonaro a mostrar a lista de infectados pelo coronavírus; deputado do PT, Rogério Correia, vai requerer à Câmara que mostre os exames do presidente da República dando negativo para o Covid-19.

O cerco vai se fechando. A juíza Raquel Soares Chiarelli, da 4ª Vara da Justiça Federal em Brasília, determinou nesta sexta-feira (20) que o Hospital das Forças Armadas (HFA) apresente ao Governo do Distrito Federal a lista de pacientes cujos testes para detectar o novo coronavírus deram positivo. A unidade hospitalar é a mesma que fez os exames do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Pelo menos 22 pessoas (confira a lista abaixo) que viajaram para Flórida, nos EUA, juntamente com o presidente foram diagnosticadas com o Covid-19.

A decisão liminar foi deferida, na noite desta sexta-feira (20), pelo Tribunal Regional Federal da 1º Região (TRF-1). Segundo o GDF, a ação foi movida após o HFA se negar a fornecer a lista de pessoas diagnosticadas no hospital. O Ministério da Defesa é o responsável por responder pela unidade.

“Já é notório que a devida identificação dos casos com sorologia positiva para o Covid-19 é fundamental para a definição de políticas públicas para o enfrentamento urgente e inadiável da pandemia, a fim de garantir a preservação do sistema de saúde e o atendimento da população, de modo que não se justifica, sob nenhuma perspectiva, a negativa da União em fornecer essas informações ao Distrito Federal, que tem competência constitucional para coordenar e executar as ações e serviços de vigilância epidemiológica em seu território”, decidiu a magistrada.

Em caso de descumprimento, está prevista multa diária de R$ 50 mil e responsabilização cível, criminal e administrativa do agente público competente.

O deputado Rogério Correia (PT-MG), não contente, adiantou que irá requerer à Câmara que Bolsonaro mostre mostre seus exames sobre coronavírus, pois, segundo o parlamentar, é informação de domínio público e como se nega a mostrar, o presidente pode e deve estar mentindo.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro faz teste para coronavírus pela 3ª vez e ganha música no Fantástico; confira o vídeo

Band faz duro editorial sobre crise diplomática com a China; assista

Ratinho, sem máscara, entrevista Bolsonaro; assista ao vivo

Véio da Havan recebe “solidariedade” após publicar vídeo contra Bolsonaro

Confira a lista dos 22 infectados que viajaram com Bolsonaro para os EUA:

  •  Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia
  • – Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI)
  • Nelson Trad, senador (PTB-MS)
  • Daniel Freitas, deputado federal (PSL-SC)
  • Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência
  • Samy Liberman, secretário adjunto de Comunicação da Presidência
  • Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia
  • Nestor Forster, embaixador e encarregado de negócios do Brasil nos EUA
  • Alan Coelho de Séllos, chefe do cerimonial do Ministério das Relações Exteriores
  • Major Mauro César Barbosa Cid, ajudante de ordens da Presidência da República
  • Coronel Gustavo Suarez da Silva, diretor adjunto do Departamento de Segurança do GSI
  • Filipe Martins, assessor especial da Presidência da República
  • Carlos Alberto França, chefe do cerimonial da Presidência da República
  • Sérgio Segovia, presidente da Agência Brasileira de Promoção à Exportação (Apex)
  •  Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
  • Flávio Roscoe, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg)
  • Karina Kufa, advogada de Jair Bolsonaro
  • Sérgio Lima, publicitário do Aliança pelo Brasil
  • Quatro integrantes não identificados da equipe de apoio do voo presidencial aos EUA

Clique aqui para ler a íntegra da decisão judicial.