PCdoB repudia machismo e ataque à Democracia por Bolsonaro

Publicado em 19 fevereiro, 2020
Compartilhe agora!

Presidente do PCdoB, Luciana Santos.
Em nota publicada na noite desta terça-feira (18), a Secretaria Nacional da Mulher do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) repudia, “com veemência”, a declaração do Presidente da República, Jair Bolsonaro, que, em mais um atentado à Democracia, insultou a repórter da Folha de S. Paulo, Patrícia Campos Mello. Ele fez insinuações sexuais, na manhã desta terça-feira (18), no Palácio da Alvorada, ao tratar da atuação da jornalista. Ela foi a autora das reportagens que denunciaram, ainda durante a campanha eleitoral de 2018, que a campanha bolsonarista à presidência usava disparos de mensagens em massa, ato proibido por Lei.

LEIA TAMBÉM:
Ataque a Patrícia Campos Mello é “cortina de fumaça” para caso Adriano, diz jornalista do Estadão

Em nota, Folha diz que Bolsonaro quebrou o decoro da Presidência ao insultar Patrícia Campos Mello

Bolsonaro já agrediu outras jornalistas; confira

O documento assinado pela presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, e pela secretária nacional da Mulher do PCdoB, Angela Albino, destaca que a fala “grotesca e covarde” de Bolsonaro caracteriza nova “quebra de decoro” e que além de ofender às mulheres, “chancela” a violência sofrida por elas cotidianamente. Destaca, ainda, que as declarações intencionam intimidar a imprensa, restringindo sua liberdade.

“É preciso ampla unidade de todas as forças progressistas e democráticas para defender a Democracia no Brasil e exigir do representante do Executivo uma postura condigna com o cargo que ocupa. Não podemos permitir a impunidade de mais uma postura machista, misógina e antidemocrática de Jair Bolsonaro!”, conclama.

Leia a íntegra:

Nota: PCdoB repudia ataques de Bolsonaro às mulheres e à Democracia

A Secretaria Nacional da Mulher do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) repudia com veemência a declaração do Presidente da República, Jair Bolsonaro, que, em mais um atentado à Democracia, insultou a repórter da Folha de S. Paulo, Patrícia Campos Mello, com insinuações sexuais, em declaração dada na manhã desta terça-feira (18), no Palácio da Alvorada.

Em nova quebra de decoro, a fala grotesca e covarde de Bolsonaro deve ser enfrentada como um ataque à Democracia e às mulheres, ofendendo a todas e intencionando intimidar e atacar a liberdade de imprensa.

Nosso país ainda convive com estatísticas alarmantes relacionadas às mulheres, com a vergonhosa quinta maior taxa de feminicídio do mundo. Cotidianamente meninas, jovens, adultas e idosas são submetidas a alguma forma de violência – assédio sexual, agressões, torturas físicas e psicológicas, exploração sexual, estupro – ameaças permanentes à vida das brasileiras. Do Chefe do Poder Executivo espera-se o enfrentamento real de tamanha desigualdade e não que chancele, com suas declarações públicas, as múltiplas violências enfrentadas pelas mulheres.

É preciso ampla unidade de todas as forças progressistas e democráticas para defender a Democracia no Brasil e exigir do representante do Executivo uma postura condigna com o cargo que ocupa.

Não podemos permitir a impunidade de mais uma postura machista, misógina e antidemocrática de Jair Bolsonaro!

Luciana Santos
Presidenta do PCdoB

Angela Albino
Secretária Nacional da Mulher do PCdoB

Compartilhe agora!