Ministério de Moro sabia de operação que resultou na morte de miliciano

Compartilhe agora

A operação que matou o ex-capitão do Bope, Adriano da Nóbrega, miliciano ligado ao senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), teve conhecimento prévio do Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado por Sérgio Moro.

Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, dias antes da ação, uma das secretarias da pasta de Moro sondou a possibilidade de apoio de um helicóptero e alguns efetivos, a pedido da polícia do Rio.

LEIA TAMBÉM:
Eduardo Bolsonaro estava na Bahia no dia da morte do miliciano Adriano

Queiroz pode ser a ‘bola da vez’ da milícia, após ‘queima’ de Adriano

Ex-capitão Adriano dizia ser arquivo vivo e temia ser morto, revela advogado

A matéria destaca que a PF pediu que a solicitação fosse formalizada, o que acabou não acontecendo.

Em nota enviada à coluna, a pasta da Justiça e Segurança Pública disse que não teve envolvimento com a operação contra o miliciano.

Moro até agora não falou nada sobre o assunto.