Deputados petistas criticam Dallagnol por fazer propaganda do RenovaBR

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), e o deputado Rogério Correia (PT-MG) criticaram nesta quarta-feira (15) a postura do Procurador Chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, que utilizou seu perfil no Twitter para fazer propaganda de um curso de formação de militantes políticos, o RenovaBR. Segundos os parlamentares, além de antiético, o fato demonstra que Dallagnol não tem isenção e atua com interesses políticos.

Na postagem, o procurador da Lava Jato escreve: “Todos queremos candidatos e equipes preparadas para fazer leis e administrar o país. O curso do RenovaBR hoje é referência na preparação de futuros candidatos. Independentemente de posição política, é uma questão de cidadania”.

LEIA TAMBÉM:
Roda Viva divulga lista de entrevistadores de Moro sem Glenn Greenwald

Secretário de Comunicação de Bolsonaro recebe das emissoras de TV

Redes sociais pedem ‘duelo’ entre Moro e Glenn no Roda Viva

O RenovaBR tem como fundador o empresário do setor financeiro e educacional Eduardo Mufarej, e o conselho consultivo do movimento político tem entre seus membros o empresário Luciano Huck.

Sobre o fato de um Procurador da República se tornar garoto-propaganda de um curso privado, Paulo Pimenta disse pelo Twitter que “para alguém que entrou no Ministério Público através de decisão judicial, não deveria espantar, mas espanta pelo grau de despudor de alguém que se apresenta como bastião da moral”, fazendo referência ao fato de Dallagnol ter ingressado no órgão graças a uma liminar, já que não possuía o tempo mínimo de exercício da advocacia cobrado como pré-requisito no concurso feito pelo coordenador da Lava Jato.

Rogério Correia ressaltou que “o fato é tão inacreditável que no início achei tratar-se de fake”. Porém, após certificar que a postagem era verdadeira, Correia destacou que o apoio explícito a um movimento político demonstra que o procurador não tem isenção para exercer o cargo que ocupa.

“Dallagnol se presta a ser garoto-propaganda um curso privado que forma militantes políticos! É por isso que deu desculpa e faltou aos convites que fiz para depor no Congresso: ele tem lado, atua política e partidariamente e faz proselitismo usando o cargo. Mais um crime!”, apontou Correia.

Sobre o objetivo do curso divulgado por Dallagnol, voltado a preparar “candidatos para fazer leis e administrar o País”, Paulo Pimenta questionou como seria tratada em uma aula do RenovaBR uma prática cometida duas vezes por Dallagnol, em 2013 e 2016.

“Fico curioso para saber como o curso do qual o Deltan faz propaganda abordaria a seguinte questão: É ético um servidor público usar a sua renda – paga pelos contribuintes – para especular no mercado imobiliário ao adquirir imóveis de um programa destinado a moradia popular?”, indagou o líder.

Do PT na Câmara