Bancada do PT vai para o ‘tudo ou nada’ contra a reforma da previdência

Publicado em 8 julho, 2019
Compartilhe agora!

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT), deu o comando à bancada na Câmara: vamos enfrentar outra batalha contra a reforma da previdência nesta terça-feira (9).

Para a dirigente petista, a proposta do governo Bolsonaro que acaba com a aposentadoria também compromete o sistema da Seguridade Social.

“O papel do Estado é principalmente proteger os mais pobres. Por isso vamos enfrentar outra batalha contra a reforma da previdência”, afirma Gleisi.

A proposta de Bolsonaro foi aprovada na madrugada desta sexta-feira (5) na comissão especial da reforma da previdência (clique aqui para ler o nome dos deputados considerados como “traidores do povo”).

LEIA TAMBÉM
Imprensa internacional destaca vaias a Bolsonaro na final da Copa América

A proposta de emenda à Constituição (PEC) aumenta o tempo para se aposentar, limita o benefício à média de todos os salários, aumenta as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os atuais assalariados.

O texto da reforma da previdência, para ser aprovado, precisará do voto favorável de, ao menos, 308 deputados em dois turnos de votação.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), abduzido pelos bancos e pela velha mídia, os maiores interessados no fim da aposentadoria para os trabalhadores, truca à velha moda dos carteados: jura que o governo tem mais de 308 votos no plenário.

O PT e os partidos aliados podem sair vitoriosos dessa batalha da previdência — não pela maioria que possui – em virtude das numerosas categorias prejudicadas na reforma. Como diz o ditado, de grão em grão…

O próprio Bolsonaro se diz representante de uma das categorias, a dos policiais e agentes de segurança, logo, graças ao lobby do presidente, eles seriam poupados dos rigores da reforma da previdência que valeriam contra os demais viventes.

Compartilhe agora!