Por Esmael Morais

Se beber, não vote; Bolsonaro quer CNH com 40 pontos

Publicado em 04/06/2019

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) exercitará amanhã, por volta das 11h30, o populismo de extrema direita ao levar à Câmara o projeto que amplia a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Ao tempo que faz a demagogia, de elevar de 20 para 40 pontos na CNH, Bolsonaro criminaliza trabalhadores rurais com o tal “pente fino” no INSS e deixa frouxo os grandes fraudadores. Vide o caso da MP 871/2019 aprovada na noite desta segunda-feira (3) no Senado.

LEIA TAMBÉM
PT no Senado votou contra MP 871

Bolsonaro ainda pretende arrancar a aposentadoria dos brasileiros com a reforma da previdência. O projeto tramita na Câmara e, à tarde, o ministro da Economia Paulo Guedes voltará à Casa para debater o tem com os deputados.

O presidente deverá repetir nesta terça o gesto da semana passada, quando da homenagem ao humorista Carlos Alberto de Nóbrega, e atravessar a pé a Praça dos Três Poderes para ir até a Câmara levar o projeto. A distância é de 460 metros cujo trajeto pode ser concluído em 7 minutos.

Enquanto o público se distraí com medidas populistas, como esta da CNH, o povo vai se ferrando com as pautas econômicas que realmente interessam. E o desemprego continua nas alturas…

Afinal, por que serve carteira se a gasolina continua cara, os salários despencam e os preços nos supermercados proibitivos?