Por Esmael Morais

Governo desautoriza presidente da Comissão da Reforma da Previdência

Publicado em 20/05/2019

O presidente da Comissão da Reforma da Previdência na Câmara, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), passou por “mentiroso” diante de desautorização de novo texto sobre o tema.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse hoje (20) que ocorreu uma “falha de comunicação’ e que não haverá texto alternativo do Congresso Nacional.

Pela interpretação da fala inicial de Ramos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) seria colocado de escanteio e os parlamentares assumiriam sozinhos a bronca da reforma da previdência. Ou seja, o mercado e a mídia cuidariam da pauta econômico e o capitão passaria a ser figura decorativa.

LEIA TAMBÉM
Para Bolsonaro, o problema do Brasil são os políticos, ele não

Entretanto, Marinho garantiu que a proposta do governo é mais adequada e jurou que Bolsonaro irá negociar com os congressistas para ajustar o texto.

Seja novo ou seja velho o texto, a reforma da previdência visa acabar com a aposentadoria dos trabalhadores. A ideia do mercado e da mídia é criar um sistema de capitalização em que somente os empregados contribuem e, pelas regras, dificilmente conseguiriam se aposentar um dia. Nesse caso ganhariam os bancos que ficariam com guarda do dinheiro.

O Marcelo Ramos não se pronunciou oficialmente sobre a desautorização do governo.