Por Esmael Morais

Moro pode perder um “braço” no governo Bolsonaro

Publicado em 27/04/2019

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, pode perder um “braço” no governo Jair Bolsonaro (PSL): o braço chamado COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Para se ter uma ideia da importância do COAF, foi o órgão quem implodiu no começo deste ano o ‘Caso Queiroz’ que envolvia o então deputado e atual senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Além de ajudar descobrir funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa do Rio, o COAF detectou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta bancária de Fabrício Queiroz — ex-assessor do filho do presidente da República.

LEIA TAMBÉM
Entrevista de Lula repercute na imprensa internacional

Pois bem, nas últimas horas o ex-juiz Moro lançou uma ofensiva nas redes sociais objetivando manter sob seu guarda-chuva o COAF recém-transformado numa espécie de Gestapo [polícia secreta da Alemanha nazista] na Justiça.

O diabo é que até empresários e políticos bolsonaristas temem que o ministro Sérgio Moro utilize politicamente informações financeiras para atingi-los, por isso a reação e a proposta de devolver o COAF para o Ministério da Economia.

Ensandecido, o ministro da Justiça tuitou oito vezes — somente neste sábado (27) — sobre o COAF. Abaixo, nós destacamos dois, onde Moro responde o próprio Moro: