Quem paga pela propaganda ilegal da lava jato?

Um outdoor no caminho de Curitiba até o Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, faz propaganda da lava jato mostrando os procuradores da operação no Paraná.

Seria propaganda eleitoral antecipada do novo partido do Brasil, o Partido Lava Jato, e de seus candidatos?

Quem pagou a confecção do outdoor e a exibição? Quanto custou? Os gastos já são por conta de fundo ilegal de R$ 2,5 bilhões?

LEIA TAMBÉM: Decisão que soltou Temer desqualifica a lava jato; leia a íntegra

“Este outdoor fere o princípio constitucional da impessoalidade ao qual os procuradores estão adstritos”, condena Tânia Mandarino, do Coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia (CAAD).

Esse princípio proíbe que os nomes e rostos dos procuradores sejam elevados acima do serviço público que prestam.

“É um claro desvio de finalidade, como prevê o artigo 37 da Constituição Federal”, afirma.

“Como bem observa a advogada Stela Bruna Santo, esse outdoor fere ainda o artigo primeiro da Constituição, pois é propaganda contra a República Federativa do Brasil”, denuncia Mandarino.

“O Brasil não possui uma República de Curitiba. Se os senhores procuradores acham que existe, ela precisa ser desmantelada porque fere os princípios republicanos e federativos do Brasil”, observa, parafraseando Stela Bruna.

As informações são do Blog Viomundo de Luiz Carlos Azenha. O texto é de Conceição Lemes.

Comentários encerrados.