“Lava Jato da educação” é para prender Haddad, diz Reinaldo Azevedo

Compartilhe agora


O jornalista Reinaldo Azevedo afirmou neste sábado (9) que a “Lava Jato da educação”, operação policial criada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para apurar supostas irregularidades no Ministério da Educação (MEC), tem como principal alvo o petista Fernando Haddad.

LEIA TAMBÉM:

Moro quer dar o troco em Bolsonaro, diz jornalista da Veja

“Os porões do governo já definiram um alvo: querem pegar Fernando Haddad, ex-ministro da Educação e petista que disputou o segundo turno das eleições presidenciais com Bolsonaro. Nas palavras de um extremista, “é preciso pôr Haddad na cadeia”, escreveu Azevedo em seu blog no Uol.

“Os que defendem operações de investigação antes mesmo que existam os indícios de crime — e, que se saiba, não existem — certamente não têm pudor de criar as circunstâncias que justifiquem investigações, prisões, condenações”, completou.

Mesmo sem qualquer indício de crime no MEC, o acordo para instalação da “Laja Jato da educação” foi selado no dia 15 de fevereiro numa reunião entre os ministros Ricardo Vélez Rodríguez (Educação), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), Wagner Rosário (Transparência e Controladoria Geral da União) e André Mendonça (advogado geral da União), com a presença do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo.