Por Esmael Morais

MDB do Paraná ‘endireita’ e flerta com Bolsonaro; Requião com 1 pé no PT

Pela primeira vez na história o MDB do Paraná se ‘endireitou’ e, ato contínuo, flerta com o presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSL). Conhecido nacionalmente pelo enfrentamento à ditadura militar

Publicado em 02/01/2019

Pela primeira vez na história o MDB do Paraná se ‘endireitou’ e, ato contínuo, flerta com o presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSL).

Conhecido nacionalmente pelo enfrentamento à ditadura militar e pelo alinhamento com as forças progressistas, o velho MDB de Guerra já não é o mesmo depois que o senador Roberto Requião perdeu o controle do partido para o sobrinho João Arruda.

LEIA TAMBÉM
Em menos de 24h, Bolsonaro toma 17 medidas que ‘ferram’ o povão

Pelo Twitter, o primeiro-sobrinho sinalizou pela bolsonarização do MDB ao abrir fogo contra o PT — partido que tradicionalmente esteve aliado ao tio e aos emedebistas do Paraná.

“O Brasil é muito maior. A postura do PT serve como combustível para o Bolsonaro”, disparou o sobrinho nesta terça (1º), ao condenar o boicote petista à posse de Bolsonaro.

João Arruda acusou ainda o PT de fazer oposição raivosa a Bolsonaro.

“O PT priorizou o seu projeto partidário e não o país. São responsáveis pelo que vem pela frente. Essa oposição raivosa, além de trazer prejuízos para o Brasil, só promove o Presidente eleito. Não vejo futuro nisso”, doeu-se pelo ‘Mito’.

Quanto a Requião, desiludido com o endireitamento do MDB, pode transferir-se de mala e cuia para o PT. O partido de Lula e Gleisi Hoffmann tem planos e voos mais altos para o velho guerreiro emedebista.

O senador paranaense deu pistas esta semana que continuará firme e forte na oposição ao chamar de “maluco” o ministério de Bolsonaro.