Por Esmael Morais

Abertura da “caixa preta” do BNDES é falácia de Bolsonaro

Publicado em 18/01/2019

A tão propalada “abertura da caixa preta” do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) feita nesta sexta-feira (18) pelo presidente Bolsonaro é uma mentira. Nenhuma novidade foi apresentada.

Todas as informações divulgadas hoje já eram públicas desde 2017 e estavam no site do Banco. Boa parte dos dados já estava disponível desde 2015.

A publicação serviu como cortina de fumaça neste momento em que a família do presidente está toda envolvida no escândalo junto com a família Queiroz e as transações financeiras para lá de suspeitas.

LEIA TAMBÉM: A coisa “tá feia” para os Bolsonaro; solta mais uma acusação contra o Lula

Investigadores do Ministério Público, do Tribunal de Contas e mesmo críticos do BNDES destacam que, desde 2015,  o banco passou a divulgar todos os empréstimos concedidos com o valor das operações, taxas de juros, garantias e a íntegra dos contratos assinados.

No ano passado, o TCU participou de uma reformulação que colocou mais informações no portal do banco.

Ou seja, o mérito da transparência é do governo da presidenta Dilma Rousseff (PT).

Para o vice-presidente da AFBNDES (Associação dos Funcionários do BNDES), Arthur Koblitz, trata-se de um “discurso de campanha” descolado da realidade.

“O objetivo parece ser o de descredibilizar o setor público bancário ainda muito expressivo no Brasil, o que contraria interesses do setor financeiro privado e a ideologia liberal dominante”, diz.

As informações são do Portal Vermelho.