Por Esmael Morais

“Esquema Gafanhoto” comeu 99% dos salários de funcionários de Flávio Bolsonaro

O operador e ex-motorista Fabrício José Carlos de Queiroz, num esquema conhecido como “gafanhoto”, comeu 99% dos salários de funcionários do deputado e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), segundo o Coaf. A tese da velha mídia é que

Publicado em 15/12/2018

O operador e ex-motorista Fabrício José Carlos de Queiroz, num esquema conhecido como “gafanhoto”, comeu 99% dos salários de funcionários do deputado e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), segundo o Coaf.

A tese da velha mídia é que o beneficiário desta “gafanhotagem” na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) foi o filho do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM
Caso Bolsonaro: ‘Não era só Cuba que ficava com parte de salário dos funcionários’

Por que raios os jornalões estão dando sabugadas nos Bolsonaro? Seria um lampejo de consciência ética? Remorso? Nada disso. Apenas interesses econômicos contrariados.

Esses veículos de comunicação buscam um lugar ao Sol, isto é, na publicidade do governo federal. Estão dando umas pernadas para serem percebidos como importantes [ainda] na República.

Quanto à suspeita de “gafanhotagem”, é a prova concreta de que a família Jair Messias Bolsonaro é tão pecadora quanto as demais que já passaram pelo Palácio do Planalto.

A tendência é a velha mídia “acertar” e arrefecer as críticas a partir de janeiro, salvo as raras exceções.