Bolsonaro atrai coalizão anti-EUA às portas do Brasil

Foto do Grafite do artista brasileiro Yuri Sousa, conhecido como Bad Boy Preto.

O presidente eleito Jair Bolsonaro conseguiu a façanha, antes mesmo de assumir o cargo, de fazer uma penca de inimigos graúdos e atrai-los às portas do Brasil via Venezuela.

Bolsonaro reuniu à mesma mesa Nicolás Maduro (Venezuela), Kim Jong-um (Coreia do Norte), Vladimir Putin (Rússia), Xi Jinping (China) e Recep Tayyip Erdogan (Turquia). Em comum eles têm disputas comerciais e geopolíticas com os Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM
Contra bravata de Bolsonaro, Venezuela reforça aliança com Putin e Erdogan

Nunca é demais lembrar que Bolsonaro ainda chamou para a briga o mundo árabe ao confirmar que vai transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém, em Israel.

O diabo é que Bolsonaro nos coloca como bucha de canhão dos norte-americanos, ou melhor, de Donald Trump, a quem o capitão reformado do Exército costuma bater continência – diante de um pôster — todos os dias antes do café da manhã e antes de dormir.

A pergunta é: quem interesse temos nós, brasileiros, em comprar brigas que só beneficiam os EUA?

Comentários encerrados.