Em nota, PT critica a confirmação de Ernesto Araújo para o Ministério das Relações Exteriores

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota nesta quarta-feira (14) criticando a confirmação do embaixador Ernesto Araújo para o ministério das Relações Exteriores no futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL).

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro conseguiu promover estragos no país em 10 dias, diz PT

O PT afirma na nota que vê com apreensão o convite do presidente eleito Bolsonaro para que o embaixador Ernesto Araújo venha a dirigir o Itamaraty.

A nota do partido também afirma que, além de inexperiente, o embaixador destaca-se por sua admiração incondicional a Donald Trump e posições políticas conservadoras.

Confira a íntegra da nota:

O Partido dos Trabalhadores vê com apreensão o convite do presidente eleito Bolsonaro para que o embaixador Ernesto Henrique Fraga Araújo venha a dirigir o Itamaraty. Além de relativamente inexperiente, pois nunca foi designado Chefe de Missão Diplomática e sabatinado pelo Senado, o referido embaixador destaca-se por sua admiração incondicional a Donald Trump e por suas posições políticas extremamente conservadoras.

Com efeito, seu artigo “Trump e o Ocidente”, publicado no segundo semestre do ano passado, revela uma compreensão bastante estreita do mundo e um alinhamento acrítico às ideias do atual e polêmico presidente norte-americano, por ele comparado a uma espécie de salvador da civilização ocidental.

Observe-se, ademais, que o referido embaixador chegou a chamar o PT de “partido terrorista”, em seu blogue.
Ora, não nos parece conveniente que o Brasil, que se destaca por seu um global player e um país comprometido com o multilateralismo, tenha a sua política externa dirigida por um diplomata que revela ter forte tendência a um alinhamento automático e subordinado aos interesses geoestratégicos norte-americanos.

Tal alinhamento deverá comprometer seriamente a afirmação dos interesses brasileiros no exterior. Saliente-se que as declarações do presidente eleito sobre a transferência da embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém, emulando Trump, e de membros de sua equipe contra o Mercosul já causaram graves prejuízos a muitos interesses nacionais.

Hoje mesmo, o governo de Cuba cancelou a sua importantíssima participação no programa Mais Médicos, em função justamente de declarações ofensivas de Bolsonaro, motivadas por mera ideologia. A política externa tem de defender interesses do longo prazo do país, e não interesses de curto prazo de governos específicos.

Nesse sentido, a nomeação do referido embaixador, se confirmada, configurará opção ideológica que apequenará ainda mais o Brasil no concerto das nações. Com tal decisão, Bolsonaro, em vez de colocar o Brasil “acima de tudo”, coloca o America First de Trump como sua principal diretriz em política externa.

Senadora Gleisi Hoffmann, presidenta do PT

Senador Lindbergh Farias, líder da Bancada do PT no Senado

Deputado Paulo Pimenta, líder da Bancada do PT na Câmara

Comentários encerrados.