Por Esmael Morais

Funcionários da Latam denunciam assédio das chefias para apoiarem Bolsonaro

Publicado em 25/10/2018


Funcionários da companhia aérea Latam denunciaram forte pressão e assédio a que estão submetidos pelos seus chefes por não declararem voto ou apoiarem o candidato de extrema direita, Jair Bolsonaro (PSL). Em denúncia à CUT-SP, eles contam que, ao optarem pela neutralidade ou indicarem que vão votar em Fernando Haddad (PT), passam a ser alvos de pressões nos escritórios, nas bases de trabalho nos aeroportos, oficinas e até nos voos, criando “um ambiente insuportável” de trabalho.

Questionada pela CUT-SP, a companhia aérea diz não ter conhecimento dos casos e que “repudia veementemente qualquer tipo de ofensa e prática discriminatória”. Em nota à CUT-SP, a Latam informa que “adotará as medidas cabíveis a respeito do tema”.

A empresa também reitera que “a segurança é um valor imprescindível que perpassa todas as operações da empresa”.

*Com informações da CUT