Após ataque a Bolsonaro, as teorias da conspiração nas redes sociais

Compartilhe agora!

Primeiramente, a opinião do Blog do Esmael: todo tipo de violência na política é abominável; dito isto, vamos às teorias da conspiração que circulam nas redes sociais.

Na internet, muitos se lembraram hoje da bolinha de papel que atingiu a careca de José Serra (PSDB) na campanha presidencial de 2010 contra Lula. Apesar da histeria da Globo, os próprios internautas revelaram que se tratava de uma armação ilimitada.

LEIA TAMBÉM
Com atentado, Bolsonaro pode ganhar no 1º turno; só Lula para segurar o ex-capitão

Na época, o episódio da bolinha de papel ocorreu justamente na região oeste do Rio, onde fica o Sindicato dos mata-mosquitos. Serra fora ministro da Saúde no governo FHC e os casos de dengue disparavam.

Outra hipótese nas redes sociais é que Bolsonaro teve seu dia de “Neymar”, pois o craque da seleção brasileira abusou da simulação de faltas em campo e viralizou mundialmente em memes.

A Bolsonaro, rápida recuperação. Afinal de contas, o Brasil não pode parar nem se curvar à violência tão comum na retórica do ex-capitão do Exército. Seja com uma criança, seja com um tripé, ou mesmo com a verborragia, agressão nem de brincadeira.

Compartilhe agora!