Flávio Dino: “Sarney sofre síndrome de abstinência de privilégios”

Compartilhe agora!

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou que o ex-presidente José Sarney sofre de síndrome de “abstinência de privilégios” e por isso o acusa de perseguição.

“Sarney está no poder há 50 anos, de Juscelino Kubitschek a Michel Temer. Imagina euzinho perseguir alguém? Não tem aderência, é meio jocoso ele dizer isso. Ninguém aqui leva a sério”, disse Dino à Folha.

LEIA TAMBÉM
Flávio Dino reúne 15 partidos para disputar a reeleição no Maranhão

No domingo (29), o ex-presidente acusou o governador do Maranhão de perseguir o “coitado” do Zé Sarney.

“O governo atual, a minha impressão é que tem os olhos no retrovisor, só olha para trás e o escolhido é o Zé Sarney. Coitado de mim! Nesta idade, era para ser respeitado. Entretanto, só é acusado. Acusado de ter passado a minha vida a serviço do Maranhão”, discursou durante o lançamento de sua filha, Roseana Sarney, para concorrer com Dino na eleição de outubro.

Para Flávio Dino, a vitimização talvez seja um linha que o clã Sarney venha a adotar na sua retórica do desespero.

O governador do PCdoB não poupou o velho Sarney: “É síndrome de abstinência de dinheiro público, de privilégios. Eles sempre tiveram acesso amplo aos cofres públicos para seus negócios privados e para manter seus luxos”.

Compartilhe agora!