PT e PCdoB acusam golpistas de partidarizarem a política externa brasileira

O PT e o PCdoB emitiram uma nota conjunta sobre a reeleição de Nicolás Maduro na Venezuela neste domingo (20).  No texto assinado pelas secretarias de relações internacionais dos partidos são apresentadas felicitações ao povo venezuelano. O documento também condena a intromissão do chamado Grupo de Lima, “de legitimidade questionável” e afirma que: “Nunca a política externa brasileira foi tão partidarizada, subserviente e vilipendiada como tem sido sob o governo golpista.”

LEIA TAMBÉM: Piada pronta: Michel Temer não reconhece resultado das urnas na Venezuela

Nota conjunta emitida nesta das Secretarias de Relações Internacionais do PT e do PCdoB

O Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Comunista do Brasil, através de suas secretarias de relações internacionais, felicitam o povo venezuelano pela retumbante vitória política e eleitoral do presidente Nicolás Maduro, reeleito neste domingo (20), para mais um mandato de seis anos à frente da Revolução Bolivariana. O presidente reeleito obteve 5.823.728 dos sufrágios (68%), contra 1.820.552 do segundo colocado.

Este triunfo, expressão da vitalidade do sistema eleitoral democrático venezuelano e dos sólidos laços do governo com o povo, é contestado pelo imperialismo estadunidense e governos lacaios da região latino-americana e caribenha, entre estes o governo golpista de Michel Temer.

Em nota emitida pelo chamado Grupo de Lima, de legitimidade questionável, e divulgada no site oficial do Itamaraty, governos hostis à Venezuela atacam o sistema eleitoral do país, o modelo político, afirmam que não reconhecem os resultados e propõem um conjunto de medidas de ingerência nos assuntos internos da Venezuela.

O sistema político-eleitoral venezuelano aperfeiçoa-se progressivamente desde 1999. Assegura à população amplo direito de voto e é dotado de mecanismos de transparência e verificação. Já foi elogiado pelo ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter, e agora pelo ex-presidente do governo espanhol, José Luís Zapatero, que integrou as delegações de acompanhamento internacional das eleições do último domingo. Torna-se evidente que os ataques dos EUA, da mídia e dos governos do chamado Grupo de Lima emanam de forças hostis à Venezuela e são feitos para deliberadamente criar um ambiente favorável ao golpe e à intervenção externa.

Condenamos veementemente a posição do Grupo de Lima e do Itamaraty. Nunca a política externa brasileira foi tão partidarizada, subserviente e vilipendiada como tem sido sob o governo golpista. Além de participar dessa manobra intervencionista do Grupo de Lima, o governo ilegítimo de Temer rasga toda a tradição diplomática brasileira de trabalhar para soluções baseadas no diálogo e no respeito à autodeterminação dos povos e nações, envergonhando o país diante do mundo.

Exortamos o povo brasileiro a manifestar sua solidariedade com o povo fraterno do país vizinho.

São Paulo, 21 de maio de 2018

Mônica Valente, pela Secretaria de Relações Internacionais do Partido dos Trabalhadores (PT)

José Reinaldo Carvalho, pela Secretaria de Relações Internacionais do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)

Comentários encerrados.