Requião Filho: Por que ser oposição?

| Comente agora

O deputado Requião Filho (MDB) escreve que é oposição ao grupo político que está no governo do Paraná porque defende tarifas congeladas da Copel e da Sanepar. “Empresa pública é para gerar crescimento do Estado, não lucro para acionistas”, fundamenta.

Por que ser oposição? Porque quero um Paraná para todos!

Requião Filho*

A comparação sempre é inevitável e não há como construir um mandato distante do que acredito para o meu Paraná. Ser oposição é defender o cidadão de bem, que está cansado de pagar tantos impostos e não ter nem a metade de retorno em infraestrutura, programas sociais e ajuda para o seu município.

Meu lado nessa história é ser contra um jeito bem específico de governar. Aquele que não está nem aí para as pessoas. E, no meu ponto de vista, só existem dois jeitos de governar: O jeito certo, em defesa do interesse público, e jeito errado, preocupado em agradar alguns poucos financiadores de campanha em detrimento do atendimento essencial à população.

Para entender melhor essa comparação, vamos ter por base o que aconteceu com a Copel e a Sanepar, que durante o Governo do PMDB teve a tarifa congelada durante sete anos e, mesmo assim, produziu, cresceu, investiu e fez a diferença na vida dos paranaenses. (As empresas, inclusive, foram premiadas pela Bolsa de NY)!

E o que se viu nos últimos anos? Supervalorização dos acionistas, venda de ações das nossas estatais e um crescimento menor do que quando a tarifa era socialmente viável e sem qualquer prejuízo financeiro. Bons tempos!

Insisto e repito: Com as tarifas congeladas da Copel e da Sanepar nós fizemos investimentos recordes no Estado. E detalhe: ainda assim, as empresas ainda davam lucro! Eram empresas bem administradas, os salários eram bons e os investimentos foram feitos. Três novas usinas hidrelétricas foram construídas naquele período, aumentamos consideravelmente as linhas de transmissão, redes de coleta e esgoto, novas estações de tratamento de água da Sanepar e muito mais!

Empresa pública é para gerar crescimento do Estado, não lucro para acionistas. Provamos que, com uma boa administração, uma gestão séria e comprometida, as estatais podem sim ter as tarifas baixas do Brasil e ainda realizar uma série de obras, investimentos e trazer resultados sociais impactantes.

As tarifas hoje sobem acima da inflação sem qualquer justificativa. São empresas estatais que priorizam o lucro de acionistas, na contramão do propósito social, retirando dinheiro da economia paranaense e do bolso do cidadão.

Eles ainda não perceberam que uma conta de luz mais barata atrai empresas e indústrias para o Paraná, garante o emprego e a renda dos cidadãos, faz a economia girar. Com as contas de luz e água mais baratas, todo mundo sai ganhando, mas ao contrário disso, nesses últimos sete anos de Governo priorizou apenas o lucro excessivo, sem atingir os resultados de antigamente.

Então existem dois jeitos de governar; o jeito certo, defendendo o interesse público, e o errado que é o jeito que o Paraná está sendo governado nos últimos anos. Por isso, nesse meu primeiro mandato não saí distribuindo ambulâncias e viaturas, porque fui oposição e serei sempre que o Executivo não pensar nas pessoas em primeiro lugar. Prêmio de consolação para agradar a este ou àquele município – após aprovar algum projeto impopular aqui na Assembleia – não fez e não fará nunca parte do meu mandato!

Pense, o Paraná pode ser diferente! E esta tem sido a minha bandeira, fazendo oposição não a um partido ou a um grupo de interesses políticos no Paraná, mas preocupado com as pessoas, com um Estado de oportunidades iguais para todos.

*Requião Filho é deputado estadual pelo MDB do Paraná.