Autocensura de Bolsonaro sobre o assassinato de Marielle já dura quase 80 horas

O deputado Jair Bolsonaro (PSL) segue praticando uma espécie de autocensura sobre o assassinato da vereadora Marielle (PSOL). Dos treze pré-candidatos lançados oficialmente à presidência da República, ele foi o único que não se pronunciou. No entanto, nas páginas de seus apoiadores as postagens são agressivas e desrespeitosas sobre a trajetória política de Marielle. Um assessor do deputado declarou ao jornal Folha de São Paulo que ele não se posicionou sobre a cruel morte “porque seria polêmico demais”.

O parlamentar direitista, quase sempre acometido de uma forte incontinência verbal, tem na questão da segurança pública a sua principal pauta de atuação. Resta saber o que conteve a língua de Bolsonaro. A conferir.

Comentários encerrados.