A Globo chegou antes da PF na casa de Jaques Wagner. Pode isso?

Enquanto você respira, a Globo conspira. Que o diga o ex-governador Jaques Wagner, que hoje (26) foi alvo de uma blitzkrieg jurídica-midiática. A emissora chegou na casa do petista antes mesmo da Polícia Federal, que deflagrou a operação “Cartão Vermelho” acerca do estádio Fonte Nova.

O governador da Bahia Rui Costa (PT) denunciou a TV Bahia, afiliada da TV Globo, foi quem denunciou a “rapidez” da emissora dos Marinho.

“Acho que essas medidas de exceção precisam ter limite da própria Justiça. Não precisam ser feitas de forma midiática, a TV chegar antes”, criticou o governador baiano, dando a entender que PF e Globo trabalham juntas para destruir o PT. “Tem um fim político-eleitoral e de propaganda eleitoral negativa”.

Jaques Wagner é o plano B de Lula e o PT nas eleições de outubro, embora o partido negue que o ex-presidente trabalhe com essa possibilidade.

O diretório nacional do PT também foi duro em relação à operação contra o “presidenciável” Jaques Wagner. Em nota, a agremiação escancara a parceria jurídica-midiática.

“Enquanto processos envolvendo políticos de outros partidos “prescrevem”, lideranças do PT são objeto de sistemáticos ataques da parceria jurídica-midiática”, repudiou o PT.

Respondendo à pergunta: não, a Globo não poderia chegar primeiro numa operação da PF [se fosse um operação policial, mas, ao que tudo indica, foi uma perseguição político-eleitoral].

Assista ao vídeo com o testemunho do governador da Bahia:

Comentários encerrados.