Por Esmael Morais

Guilherme Boulos: “Maior erro que a esquerda pode cometer é embarcar no anti-Lula”

Publicado em 06/01/2018

Em entrevista à Carta Capital, líder do MTST diz que a esquerda precisa ter “maturidade” para se unir, mas ao mesmo tempo reconhecer sua diversidade. A declaração de Guilherme Boulos vai na contramão do que pensa o ex-governador Ciro Gomes (PDT), que negou solidariedade a Lula de olho no espólio político do petista.

Cotado como candidato do PSOL à Presidência da República, o líder do MTST, Guilherme Boulos, diz que um dos maiores erros que a esquerda pode cometer é apostar no antipetismo e na “destruição” do ex-presidente Lula. Em entrevista à Carta Capital, Boulos afirma que o PSOL não seguirá esse caminho nas eleições deste ano.

O líder do MTST ressalta, no entanto, que não há mais espaço para políticas de conciliação: “O golpe representou uma radicalização da Casa Grande e de seus políticos. Fechou qualquer possibilidade de termos avanços sem conflito. Se foi possível garantir mais direitos sem enfrentar os grandes privilégios na sociedade e no Estado brasileiros, hoje não é mais”.

Sobre uma possível divisão do campo progressista nas eleições presidenciais, Boulos diz que a esquerda “precisa ter maturidade para estar junta naquilo que une a todos e, ao mesmo tempo, reconhecer sua própria diversidade. É preciso cerrar fileiras no enfrentamento ao golpe, às reformas de Temer e aos retrocessos democráticos, bem como na defesa do direito de Lula ser candidato”.

As informações são do blog Nocaute