CCJ do Senado aprova proibição das coligações nas eleições de 2022; siga

CCJ da Câmara põe hoje Temer no bico do corvo

O deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) vai ler daqui a pouco, a partir das 14h30, o relatório na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) autorizando a investigação de denúncia por crime de corrupção passiva contra o ilegítimo Michel Temer (PMDB).

O Palácio do Planalto arrota vitória, pois acredita que conseguirá 40 votos dos 66 possíveis na CCJ da Câmara.

Temer precisará de ao menos 33 para arquivar o pedido do Supremo Tribunal Federal. Para isso, o Tinhoso tem orientado os partidos da base a trocar parlamentares que estão titubeando na CCJ, oferendo cargos, emendas, dentre outras promessas, tudo para salvar-se a qualquer custo.

Se o calendário da comissão for cumprido, os deputados têm condição de votar o processo na quinta-feira (13) à noite.

Caso o Plenário da Câmara autorize a investigação de Temer, o STF só instaurará a ação penal no mês de agosto haja vista que o judiciário está em férias forenses.

Denúncia

O procurador-geral da República encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um documento com 64 páginas denunciando o presidente Michel Temer e um de seus principais aliados, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), por corrupção passiva. É a primeira vez que um presidente da República é denunciado no Brasil por suspeita de ter cometido crime no exercício do mandato.

A denúncia tem como base gravações e delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F – que controla o frigorífico JBS e outras empresas.

A defesa de Temer já foi entregue à CCJ, e nela seu advogado diz que não há provas do envolvimento do presidente da República em nenhum crime, e que a denúncia se baseia em suposições.

Comments are closed.