Requião Filho: Arraiá de Rafael Greca tem fogueira, bomba e quadrilha

O deputado Requião Filho (PMDB) afirma em sua coluna desta terça-feira (27) que houve ‘compra de votos’ na aprovação do pacotaço do prefeito de Curitiba Rafael Greca (PMN).

Segundo o parlamentar, que acompanhou a manifestação nesta segunda (26), durante a ‘sessão bandida’ na Ópera de Arame, houve fogueira e quadrilha.

“Quadrilha porque há vereador denunciando compra de votos. Fogueira, porque servidores humilhados queimam seus jalecos publicamente e bomba, porque, mais uma vez, Curitiba assiste a um conflito do Executivo contra a população civil”, descreve Requião Filho.

Acerca desse tema, o peemedebista também fez pronunciamento na Assembleia Legislativa do Paraná. Confira abaixo a coluna e o vídeo:

Arraiá de Rafael Greca tem fogueira, bomba e quadrilha

Requião Filho*

Diferente das animadas e divertidas festas juninas, nas quais a dança da quadrilha, a fogueira e as bombas fazem parte de um ritual, Curitiba vive um junho sombrio, também regado à quadrilha, bomba e fogueira.

Quadrilha porque há vereador denunciando compra de votos. Fogueira, porque servidores humilhados queimam seus jalecos publicamente e bomba, porque, mais uma vez, Curitiba assiste a um conflito do Executivo contra a população civil.

Inspirado e devidamente validado por seu ídolo Beto Richa, Greca coloca o Estado contra o servidor público e promove mais um festival de horrores na capital paranaense e, com isso, consegue, em 1º turno, a aprovação do famigerado “ajuste fiscal”. Greca assume seu lado austero, intolerante e mostra a sua verdadeira faceta, aquela que esteve bem escondida durante sua campanha eleitoral.

Sinto pelos servidores da Prefeitura de Curitiba que, ingenuamente, conferiram a ele o seu voto e experimentam hoje, na carne, as mazelas de uma administração equivocada.

Mergulhado em profunda cegueira, escolhe como bode expiatório a ponta mais fraca de toda a engrenagem administrativa para atingir, ameaçar, bater, criminalizar o servidor e retirar seus direitos. Modelo este que já é bem conhecido de todos.

Não se engane paranaense! Não são só os servidores públicos que arcarão com as maldades impostas, mas todas as pessoas que se valem da rede municipal de saúde e educação, sem falar em todos os outros setores da Administração. Servidor valorizado é população bem atendida!

Mais um erro estratégico, mais um erro de visão e, enquanto isso, os poderosos, os grandes devedores da municipalidade, aplaudem as medidas que sequer esbarram na confortável situação que hoje desfrutam na Prefeitura de Curitiba.

Todos sabem que outra forma de governar poderia ter sido adotada pelo Senhor Prefeito. Uma forma que preservasse os direitos duramente conquistados pelos servidores ao longo das últimas décadas, a população curitibana e as finanças do município.

*Requião Filho é deputado estadual pelo PMDB do Paraná.

Fotos: Jonas Rebicki/SISMMAC e divulgação.

Comentários encerrados.