STJ põe Beto Richa no ‘bico do corvo’ por corrupção no Porto de Paranaguá

O novo inquérito aberto esta semana no Superior Tribunal de Justiça contra o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), atendeu a “fortes argumentos” do Ministério Público, que seguem abaixo.

Para os procuradores de Justiça, Beto Richa e familiares se beneficiaram de fraude em licença ambiental na área do Porto de Paranaguá.

Segundo investigações do Gaeco, iniciadas em 2015, a Green Logística havia obtido um ano antes licença ambiental irregular na área portuária.

Embora Beto Richa tenha declarado que nada tinha a ver com o inquérito do STJ, o Ministério Público o acusa ter assinado o decreto burlando a legislação de proteção ambiental para beneficiar a si mesmo e a familiares.

De acordo com a denúncia, a Green Logística teve como sua sócia a BFMAR, que no rol dos acionistas teria o governador Beto Richa, a primeira-dama Fernanda Richa, bem como seus filhos Marcelo, André e Rodrigo.

Para o MP, a sigla BFMAR tem as iniciais dos integrantes da família Richa (Beto, Fernanda, Marcelo, André e Rodrigo).

No dia 15 de junho 2015, o Blog do Esmael havia anotado que o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) desencadeara a Operação Superagui cujos alvos eram integrantes do primeiro escalão da administração estadual.

Na época, a força-tarefa do MP aprendera R$ 649 mil em dinheiro vivo em um dos endereços de fiscal do IAP — que seria fruto de propinas.

Beto Richa já era réu no STJ

Em março de 2016, o STJ autorizara o primeiro inquérito contra o governador Beto Richa acerca de esquema de corrupção da Receita Estadual.

A acusação é de que R$ 4,3 milhões desviados tenham financiado a reeleição do tucano, segundo investigações da Operação Publicano.

Richa faz vergonha histórica, pois nunca antes um governador do Paraná tinha sido investigado por corrupção no STJ.

Repercussão

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), principal nome da oposição no estado, afirmou neste sábado (1º) que “tudo indica que os escândalos do Paraná tomarão proporções semelhantes ou maiores do que os do RJ”. O parlamentar não deixou de fazer uma pergunta capciosa: “Beto é o nosso Cabral?”, referindo-se ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral preso por corrupção desde novembro do ano passado.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O porto que beto lixo sonhou.

  2. Beto na cadeia….

  3. Quero ver lo na cadeia…logo logo.

  4. #beto na cadeia

  5. Será que tem alguém ainda que defende esse bandido? estou curioso para saber!

  6. E eu que pensava que o Único era o irmão do Requião que foi acusado e parece que nada foi encontrado,já beto lixo e seus Familiares sera Verdade.

  7. Então é assim … o STJ autoriza que o governador corrupto seja “investigado” e as investigações começam … mas não agora … lá para o final do ano … aí vai mais um ano de investigações … e chegamos a 2018 … onde ele terá o último ano como governador do Paraná, se ainda existir o Paraná … daí ele sai do cargo, entra com um pedido para ser julgado aqui em baixo … porque não tem mais prerrogativa de foro (nem de moro) e começa tudo de novo … desta feita, com os juízes do Paraná que são seus amigos e corruptos iguais a ele … e tá tudo em casa … até lá continua roubando e no cargo maior do Estado … que já está quebrado … e os bestas aqui tem que aguentar não só o FDP, como toda a corja ligada a ele dentro da ALEP que só deixa ele no cargo (poderiam impichimá-lo ou no mínimo afastá-lo) por conta de serem sócios na corrupção … e segue a vida …