Deputados criminalizam ocupações nas escolas do PR; acompanhe ao vivo

A polícia criminal diz que não havia relação entre a morte do adolescente, num colégio de Curitiba, com a ocupação do estabelecimento em protesto contra a MP 746 (reforma do ensino médio) e PEC 241 (congelamento dos investimentos por 20 anos).

No entanto, a bancada de apoio do governo Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa tenta fabricar uma relação política e ideológica com a infeliz tragédia.

Além de criminalizar os estudantes que fazem as legítimas ocupações, segundo todos os órgãos de defesa dos direitos fundamentais, a Assembleia realiza sessão para criminalizar a APP-Sindicato.

O governo mobilizou uma claque a qual batizou de “Desocupa Paraná”, o qual é organizada pelo movimento fascista MBL — formado por “tiozinhos”, conforme denunciou o deputado Tadeu Veneri (PT), membro da Comissão de Direitos Humanos.

A principal palavra de ordem nas galerias é “Fora PT, Fora PT, Fora PT”, o que corrobora ser uma manifestação orquestrada pelo Palácio Iguaçu.

A bancada do camburão se reveza na tribuna para atacar os movimento estudantil e do magistério, que lutam pela qualidade do ensino.

Todos sabem que a maioria dos deputados não têm condições morais de cobrar alguma coisa dos jovens estudantes ou dos professores.

O senador Roberto Requião (PMDB) comentou o comportamento dos parlamentares. “Alguns deputados da base do Richa e apoiadores do Greca não escondiam a satisfação com a morte do estudante em Santa Felicidade. Canalhas?”, questionou.

escola_ocupada_richa-600x271

Comentários encerrados.