Por Esmael Morais

Ministro interino da Educação sofre ‘escracho’ de funcionários na posse

Publicado em 13/05/2016

Desde que a junção dos ministérios foi anunciada, setores da sociedade civil, especialmente os ligados à classe artística, criticaram fortemente a iniciativa. O Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Municipais de Cultura das Capitais e Regiões Metropolitanas declarou que os esforços feitos em prol do desenvolvimento econômico ficarão “sem efeito para o conjunto da população se não considerar os aspectos culturais do desenvolvimento”.

“Enquanto a maior parte do mundo caminha para pensar a cultura como estratégica para o desenvolvimento das nações, não podemos caminhar num sentido diferente. Por mais que se tenha que replanejar os investimentos no país, a Cultura precisa ser colocado num outro patamar, posto que o investimento não realizado em cultura hoje terá um alto custo para o país posteriormente. A Cultura é que nos torna realmente humanos, o que nos tira da barbárie”, diz o texto do manifesto.

Veja o vídeo do protesto: