Advogado pede ao Supremo que impeachment de Michel Temer seja aberto em 24 horas

da Agência do Brasil

Advogado Mariel Marley Marra pediu hoje (11) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cumpra em 24 horas a decisão que determinou abertura de processo de impeachment do vice-presidente Michel Temer; Marra foi responsável pelo pedido no qual o ministro determinou a abertura do processo contra o vice-presidente; em caso de descumprimento, o advogado pede que seja aplicada multa de aproximadamente R$ 3,3 milhões, valor equivalente a 100 vezes o salário de um deputado federal, que está em torno de R$ 33 mil; de acordo com o advogado, Cunha tenta atrasar o cumprimento da decisão de Marco Aurélio.

Advogado Mariel Marley Marra pediu hoje (11) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cumpra em 24 horas a decisão que determinou abertura de processo de impeachment do vice-presidente Michel Temer; Marra foi responsável pelo pedido no qual o ministro determinou a abertura do processo contra o vice-presidente; em caso de descumprimento, o advogado pede que seja aplicada multa de aproximadamente R$ 3,3 milhões, valor equivalente a 100 vezes o salário de um deputado federal, que está em torno de R$ 33 mil; de acordo com o advogado, Cunha tenta atrasar o cumprimento da decisão de Marco Aurélio.

O advogado Mariel Marley Marra pediu hoje (11) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cumpra em 24 horas a decisão que determinou abertura de processo de impeachment do vice-presidente Michel Temer. Marra foi responsável pelo pedido no qual o ministro determinou a abertura do processo contra o vice-presidente.

Em caso de descumprimento, o advogado pede que seja aplicada multa de aproximadamente R$ 3,3 milhões, valor equivalente a 100 vezes o salário de um deputado federal, que está em torno de R$ 33 mil.

De acordo com o advogado, Cunha tenta atrasar o cumprimento da decisão de Marco Aurélio.

“O presidente da Câmara enviou, em  6 de abril deste ano, ofício aos líderes partidários pedindo a indicação de integrantes para a comissão especial, sendo que Cunha já havia declarado na imprensa no dia anterior que pediria as indicações. Destacando que não instalaria o colegiado se os líderes não apresentassem os nomes partidários, o presidente da Câmara não estabeleceu prazo para os líderes enviarem as suas indicações”, argumenta Marra.

Na semana passada, Marco Aurélio determinou que Cunha dê seguimento a um processo de impeachment contra Michel Temer na Câmara e forme uma comissão especial para tratar do caso.

A posição do ministro foi tomada em uma ação do advogado Mariel Marley Marra contra o presidente da Câmara, que negou o seguimento do processo. No pedido, protocolado no dia 29 no Supremo, o advogado sustentou que Temer deveria ser incluído no processo de impeachment da presidenta Dilma Roussef, ou que um novo pedido fosse aberto, por entender que há indícios de que o vice-presidente cometeu crimes de responsabilidade.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to mention I am just new to weblog and actually savored this blog site. Almost certainly I’m planning to bookmark your site . You absolutely come with awesome posts. Cheers for revealing your website page.

  2. Nunca eu poderia imaginar que veria algo como o que está acontecendo atualmente depois de tanta luta e sofrimento pela democracia. A oposição popular a Dilma tem que se conscientizar de que não pode, em nome do desejo de destituir uma presidente eleita por maioria de votos, concordar com um absurdo desses, cujos atos insensatos vemos dia a dia. Parte do legislativo se negando a aceitar o resultado das urnas. Senhores parlamentares, aceitem que a época da corrupção, seja com esse nome ou com o nome de “negociação” acabou. O povo não aceita mais isso. Esqueçam que isso um dia existiu. Não imaginem que esse suposto apoio de boa parte da população que hoje têm continuará existindo. Temos Lava Jato, que não queremos que acabe, e sim que seja conduzida de modo isento e sério, para recuperar aos cofres públicos aquilo que deles foi tirado e, principalmente, evitar que tudo continue como antes. A Lava Jato não pode se transformar em um instrumento político para perseguir exatamente os que permitiram que ele fosse criado e manter privilégios indevidos e ilegais a quem, na verdade, deveria estar defendendo a integridade e independência da nação.

  3. Esta correto, pois aliança política tem que ser igual a casamento, na fartura ou na pobreza tem que estarem juntos, e se eleitos foram juntos, então que saiam juntos. NADA MAIS JUSTO. ASSINO EM BAIXO O PEDIDO.

  4. Quem consente com a injustiça, com ladrões, com o engano, com o mal terá diante dos olhos a cria da ruína, sem haver quem o livre.