PMDB fará reunião esvaziada para “romper” com governo Dilma

Reunião do diretório nacional do PMDB, nesta tarde, em Brasília, convocada para aprovar o rompimento do partido com o governo Dilma Rousseff, ocorrerá sob o signo do esvaziamento; principais caciques regionais da legenda combinaram com o Palácio do Planalto de faltar ao evento; vice-presidente da República, Michel Temer, por exemplo, não vai comparecer ao encontro para “não influenciar na decisão”; decisão por “aclamação” será proforma, pois seis ministros lutarão para permanecer nos respectivos cargos; novo chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista à imprensa estrangeira, havia informado ontem (28) que Dilma governará numa coalizão com 50% do PMDB, ou seja, os peemedebistas desembarcarão hoje "pero no mucho".

Reunião do diretório nacional do PMDB, nesta tarde, em Brasília, convocada para aprovar o rompimento do partido com o governo Dilma Rousseff, ocorrerá sob o signo do esvaziamento; principais caciques regionais da legenda combinaram com o Palácio do Planalto de faltar ao evento; vice-presidente da República, Michel Temer, por exemplo, não vai comparecer ao encontro para “não influenciar na decisão”; decisão por “aclamação” será proforma, pois seis ministros lutarão para permanecer nos respectivos cargos; novo chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista à imprensa estrangeira, havia informado ontem (28) que Dilma governará numa coalizão com 50% do PMDB, ou seja, os peemedebistas desembarcarão hoje “pero no mucho”.

O Blog do Esmael apurou que a reunião do diretório nacional do PMDB, logo mais, às 15 horas, convocada para aprovar o rompimento do partido com o governo Dilma Rousseff, ocorrerá sob o signo do esvaziamento.

Os principais caciques regionais peemedebistas combinaram com o Palácio do Planalto não dar as caras no evento “radical demais” para a entrega de cargos.

Nem o próprio vice-presidente da República, Michel Temer, vai comparecer ao encontro desta tarde. Ele disse que faltará à reunião para “não influenciar na decisão”.

Embora um ministro, Henrique Alves (RN), tenha pedido demissão do Turismo ontem (28) à noite, e a decisão de hoje seja por “aclamação”, a tendência é de que outros seis correligionários alojados na Esplanada dos Ministérios lutem para permanecer no cargo.

Também ontem, em entrevista à imprensa estrangeira, o novo ministro da Casa Civil Luiz Inácio Lula da Silva informou que Dilma governará numa coalizão com 50% do PMDB. Ou seja, os peemedebistas desembarcarão hoje “pero no mucho”.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Cadê o velho MDB de guerra de REQUIÃO? aliás ele é mesmo acho que com poucas pessoas no partido que pode enfrentar o Michel Temer porque é honesto junto com senador Renan calheiros, e outros do senado, vamos nos unir contra o golpe e o povo brasileiro.não é hora de dividir é hora de somar.

  2. Uma das etapas do golpe é o partido eterno adesista, conspirador, corrompedor, corrompido e sem chance, o PMDB usurpar a presidência do Brasil.
    #NãoNosIntimidarão
    #OGolpeSeráDerrotado
    #PelaDemocracia
    #MoroExonerado
    #AbaixoARepúblicaDoParaná

  3. PMDB PARTIDO DE ALUGUEL ESSE MICHEL GOLPISTA

  4. Ou seja, ninguém quer dar as caras para efetivar o golpe? Então, podemos concluir que TODOS são golpistas.

  5. EMFIM, HOJE E O DIA DA REVOADA DOS VERDADEIROS “”JUDAS TRAIRAS GOLPISTAS””

  6. FINALMENTE SABEREMOS NA INTEGRA QUANTOS E QUAIA SAO OS “JUDAS/GOLPISTAS HOJE, PENA QUE JA PASSOU O DIA DE MALHAR, TERIAMOS MUITAS OPCOES. FORA MIDIA CULIADA GOLPISTA.