Gleisi Hoffmann: “Violência política contra a mulher presidente”

Ao final da campanha de 16 dias de ativismo contra a

Ao final da campanha de 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, a senadora Gleisi Hoffmann escreveu um artigo especial para o Blog  do Esmael lamentando que, justamente durante essa campanha, a Câmara dos Deputados, sob o comando de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), esteja protagonizando uma forte violência política contra a presidenta Dilma Rousseff (PT).

Violência política contra a mulher presidente

Gleisi Hoffmann*

Neste 10 de dezembro, dia internacional dos direitos humanos, finalizamos os 16 dias de enfrentamento à violência contra a mulher. Por ironia do destino, presenciamos a maior violência política praticada contra mulheres com o início descabido de um processo de impeachment contra a presidenta Dilma.

Violência, sim. Porque violência não é só física, é também verbal, emocional, moral e política. O que fez Dilma para merecer um impeachment? Qual o crime cometido? Recebeu propina? Tem conta no exterior? Barganhou com o Congresso? Interveio na polícia federal para cessarem as investigações da Lava Jato? Pressionou o Procurador Geral da República para parar com os processos?

São as Pedaladas Fiscais? Todos os outros presidentes postergaram pagamentos para bancos públicos. São os decretos de despesas sem anuência do Congresso? Outros também fizeram, inclusive governadores do PSDB.

Querer governar sem ter ganho no voto é violência sim, é golpe.

Dilma é a primeira mulher a governar o Brasil. Forte, corajosa, enfrentou a ditadura, preconceitos, enfrenta barganhas políticas, mal feitos e tem um espírito público inigualável.

Está sofrendo violência por parte de homens que jamais compreenderam que a democracia não será completa sem o protagonismo da mulher. São os mesmos que querem regredir em direitos conquistados, foram contra as cotas femininas, instigam a intolerância e acham que Direitos Humanos é coisa de bandidos.

É uma pena que a Câmara dos deputados esteja dando ao mundo um espetáculo de violência contra a mulher durante os 16 dias de ativismo destinados a combatê-la.

*Gleisi Hoffmann é senadora da República pelo Paraná. Foi ministra-chefe da Casa Civil e diretora financeira da Itaipu Binacional.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Gleisi,não venha misturar às coisas e tentar confundir os ignorantes.
    Violência contra a MULHER presidente?
    O que têm a ver as M… que Ela está fazendo na política do país com o gênero dela?
    Barganha política todos vcs fazem,não me venha se fazer de Santa dona Gleisi

  2. Ho Gleisi?
    Seus comentários parecem reprises repisadas.
    Você só bate na mesma tecla, tá enjoando ver
    você torcendo os fatos, e transformando as
    reações contrárias à inépcia e incompetência
    da presidente, como simples machismo.

  3. Cara senadora Gleice, pelo que sei irresponsabilidade e incompetência não tem gênero! kkk #ForaDilma!

  4. Eu li errado ou a companheira gleisi e o como isso entenda-se o PT que até poucos dias negavam agora já assumiram as pedaladas fiscais????

    Impeachment já…precisamos de um governo de direita, privatizar todas as estatais acabando com os cabides de empregos colocar gente seria pra tocar as empresas chave, aderir as liberalismo econômico abrindo as portas do neoliberalismo ai sim teremos um país decente e mais dinheiro no bolso como nossa gente merece!!!!!

    • Pelo pouco que estudei, neoliberalismo nunca na história diminuiu a desigualdade social… mais dinheiro no bolso para quem tem dinheiro no bolso…
      Ademais, no Brasil, as poucas estatais que sobraram (que não foram privatizadas) podem ser consideradas “empresas chave”, veja o caso das telecomunicações, o Brasil não tem controle dos Satélites que servem a nação, isto fica a cargo de uma empresa mexicana (na última vez que li a respeito, talvez a realidade hoje seja outra) que por sua vez, o México é fortemente influenciado pelos USA, pois depende do acordo comercial entre eles, será que as pessoas sabem o significado disto?
      Privatizar as Estatais, somente perguntando se você teria alguma participação nas privatizações, pois em nada beneficiaria a população, pois em teoria, é dever do estado promover o desenvolvimento e o bem estar social de seu povo, no setor privado o lema é “Lucro”!
      Outro exemplo é os pedágios que temos aqui no Paraná, vai reclamar para quem? Governador? Presidente da República? Para o Papa?

  5. Eu respeito a presidenta DILMA, mas não posso concordar com esse seu artigo Gleisi. Dilma, não faz politica, se aliou a uma politica economica que está quebrando o Brasil, não reduziu impostos e a classe trabalhadora esta perdendo o emprego a rodo. Tem uma equipe fraquissima e o pior NAO FEZ A REFORMA POLITICA e nem tampouco da MIDIA. Portanto, paga pelas omissões e pela arrogância…Esse discurso de vitima, já não vai mais ser aceito se ela não vir as ruas e der uma guinada pelo povo em seu governo.