Deputado João Arruda: ‘Lá e cá, PT e PSDB votaram contra os trabalhadores’

arruda_arrocho_pt_psdbO deputado federal João Arruda (PMDB), coordenador-geral da bancada do Paraná no Congresso Nacional, em artigo especial para o Blog do Esmael, analisa o comportamento “parecido” e “diferente” do PSDB e PT em Brasília e no Paraná.

O parlamentar vê falta de “coerência” dos dois partidos diante das contradições apresentadas entre si durante a votação que retirou lá e cá direitos dos trabalhadores.

Na opinião de Arruda, o ajuste fiscal de Beto Richa (PSDB) tirou dinheiro da mesa do trabalhador e confiscou a poupança previdenciária dos servidores do Paraná. No entanto, os tucanos foram contra o ajuste da presidenta Dilma em Brasília.

Já o PT, segundo o peemedebista, sob o argumento de que estava defendendo os direitos dos trabalhadores, apoiou o ajuste de Dilma, “porém, no Paraná, posicionou-se contrário às medidas similares adotadas pelo governador Beto Richa”.

“Falta coerência ao PT e ao PSDB”, critica João Arruda.

A seguir, leia a íntegra do artigo especial do deputado do PMDB:

Contra o arrocho de Beto Richa e Dilma; coerência acima de tudo!

João Arruda*

Ser político é fazer valer os direitos dos cidadãos. É exigir que o Estado cumpra os seus deveres, conforme prevê a Constituição Federal. É ter a capacidade de envolver a sociedade na defesa intransigente da justiça, da igualdade e da fraternidade.

E é por acreditar nisso que desde que se iniciou a discussão da Medida Provisória 665/14, a qual muda as regras de concessão do seguro desemprego, do abono salarial e do seguro defeso para o pescador profissional eu me posicionei contra as alterações.

Jamais poderia ser a favor de um projeto que diminui os direitos dos trabalhadores e que afronta diretamente a proteção que a Constituição Federal lhes assegura. Mas infelizmente, com 252 votos contra 227, o texto-base foi aprovado na Câmara Federal.

O texto aprovado nesta quarta feira prevê que para fazer a primeira solicitação do seguro-desemprego, o trabalhador terá que comprovar vínculo empregatício de, no mínimo, 18 meses. Se for o segundo requerimento, o vínculo exigido é de 12 meses.

A partir do terceiro requerimento, o tempo de vinculo empregatício necessário para a concessão do benefício passa a ser de 6 meses.

As violações constantes nesta medida, que é de autoria do Governo Federal, também ocorrem com a PEC das Terceirizações, razão pela qual também fui contrário a este projeto. Uma vez que os dois afrontam direitos resguardados pela Constituição Brasileira, a posição que adotei para ambos guardam entre si coerência e demonstram a independência com a qual um Deputado deve conduzir a sua atuação parlamentar.

Dada essas observações, não é difícil perceber o que está ocorrendo nos governos do Paraná e do Brasil. Por falta de caixa, as duas administrações mexem no bolso do povo brasileiro.

No Paraná, o ajuste fiscal tirou dinheiro da mesa do trabalhador, aumentando impostos e fazendo com que a inflação cresça e que a oferta de emprego diminua.

Não obstante a tudo isso, o governo ainda retirou dinheiro da Paraná Previdência, mexendo no futuro dos servidores públicos estaduais.

Há quem tenha sido contra. O PT, sob o argumento de que estavam defendendo os direitos dos trabalhadores, apoiou a MP 665/2014, porém, no Paraná, posicionou-se contrário as medidas similares adotadas pelo Executivo Estadual.

Por sua vez o PSDB, de quem se esperava apoio irrestrito ao Governo Federal, já que retirou os direitos previdenciários do servidores estaduais e onerou os paranaenses com o aumento de inúmeros impostos, foi o maior opositor das alterações pretendidas pelo Governo Federal, inclusive por considerá-las ilegais ante a supressão de direitos sociais.

Se o PT, em Brasília, e o PSDB, no Paraná, governam da mesma forma, há que se imaginar que os seus integrantes adotariam a mesma postura em votações similares. Mas não foi o que aconteceu. Existe uma contradição gritante de ideias e de ideais que vão além do que imaginamos razoável.

A impressão que nos dá é que a política brasileira se transformou numa festa de torcidas organizadas onde não importa se a administração do clube é boa ou ruim, mas sim o amor que se tem pelo time. Ou seja, hoje os políticos do Brasil defendem a paixão pelo seu partido de forma desmedida, pouco importando se com isso princípios constitucionais são transgredidos e direitos violados. Ainda que assolem os trabalhadores, que retirem da mesa do povo brasileiro o seu alimento do dia a dia, é a paixão pelo seu partido que os guia.

Não podemos torcer para os partidos de quem administra, temos sim que ser coerentes e torcer pelo Estado do Paraná e pelo Brasil.

Enquanto formos apenas torcedores, e não políticos, vamos continuar a assistir à desmoralização da política brasileira. Chegou a hora de fazermos discussões específicas e de defendermos nossas posições com coerência e a favor do povo.

*João Arruda é deputado federal pelo PMDB e coordenador-geral da bancada do Paraná no Congresso Nacional.

22 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Lendo os comentarios, da pra se ter a seguinte conclusão….

    João Arruda, perdeu a oportunidade de ficar quieto!

    Que vergonha João, que vergonha!

  2. Estes petralhas não tem jeito mesmo, ou, à soldo, defendem a sofisticada organização criminosa até a morte.Texto coerente, parabéns Deputado.O resto é papo de sócio do André Vargas e demais da malta…

  3. Depois do massacre de 29 de Abril era melhor ficar calado , pois o PT foi o bastião dos professores e demais servidores público do Paraná.

    • Não senhor, somente o PT, foi ator no palco, pois tivemos muitos atores, inclusive o Grande Nobre Deputado Nereu Moura, um dos sempre mais atuantes em prol dos servidores públicos estaduais.
      Sem falar no grande deputado Márcio Pacheco, que muita honra a UNIOESTE, pois foi ali que recebeu grande parte da sua trajetória acadêmica, na sua Análise do Discurso.

    • Não senhor, não somente o PT foi ator no palco da ALEP, pois tivemos muitos atores, inclusive o Grande Nobre Deputado Nereu Moura, um dos sempre mais atuantes em prol dos servidores públicos estaduais.
      Sem falar no grande deputado Márcio Pacheco, que muita honra a UNIOESTE, pois foi ali que recebeu grande parte da sua trajetória acadêmica, na sua Análise do Discurso.

  4. O PMDB sim é um partido coerente e que defende os trabalhadores, inclusive o excelentíssimo Eduardo Cunha que desengavetou o projeto de terceirização. Não me faça rir deputado João Arruda. O PMDB muda seus posicionamentos mais do que as gravatas, segundo o que convêm.

  5. João meu amigo…..pisou na bola, e feio!

  6. Eu até ia comentar alguma coisa, mas a turma daí de cima já quase esgotou os argumentos. Deixa quieto. O João perdeu a oportunidade de ficar calado. Só uma pergunta ao seu João, quais direitos os trabalhadores perderam com o ajuste fiscal da Dilma? Vai na onda do Paulinho da força (pauzinho do Dantas) que você se lasca.

  7. sempre defendi direitos dos trabalhadores, mas acredito que alguns ajustes são necessários sim. quanta gente que vejo pulando de emprego em emprego pra viver de seguro desemprego, acho que esse ajuste não vai penalizar quem realmente merece o seguro, mas sim os “espertinhos”. outra coisa pensão vitalicia para conjuge tambem é algo meio esquisito hoje em dia, pois quantos são os casos de pessoas jovens que casam e ficam viuvos e recebem pensão o resto da vida.Comparar isso com o assalto a previdência feito pelo desgovernador não faz muito sentido. alem disso o nobre deputado tem que explicar pq votou a favor de retirar o aviso em embalagens que contem alimentos geneticamente modificados.

  8. Deputado João Arruda, com todo o respeito pelo senhor, falar de incoerência no PT e no PSDB, e não citar o partido do qual V. Ex. faz parte é hipocrisia. Pois, na votação da MP 665, dos 64 deputados do seu partido, apenas 13 votaram contra a medida. Sem contar como votaram, aqui no nosso estado, os pmdbistas no confisco da ParanáPrevidência. Ainda, levando em consideração a composição do PMDB na ALEP, na qual o atual líder do governo na Assembleia e o vice-líder da oposição são do seu partido, vemos que a falta de coerência também está presente no PMDB. Então, caro deputado, arrume a casa antes de criticar a do próximo.
    Além disso, já que estamos falando de incoerência, parabéns por sua postura independente nas votações citadas em seu artigo.
    Att
    Murillo

  9. Em que pese alguns comentários contrários ao texto, contudo o mesmo expressa situações idênticas, porém com nomenclaturas diferentes para o caso. Enquanto em Brasília se chama pacote de ajuste fiscal, aqui se chama austeridade. O fato é que, em ambas as situações, os trabalhadores estão sendo prejudicados. Na esfera federal, o prejudicado será os trabalhadores da iniciativa privada, enquanto no Paraná são os servidores públicos. A linha de pensamento exagerada pelo nobre deputado encontra amparo fático e político, e as defesas contrárias a tese são com arrimo ideológico. Jamais será admitido que o PT e o PSDB votam de acordo com o interesse da bancada que fazem parte. O movimento em defesa da saúde econômica do governo do qual ambos os partidos defendem é vergonhoso, seja para o PSDB aqui no Paraná quanto para o PT na esfera federal. O prejudicado é sempre aquele que está na base da pirâmide. E a base da pirâmide é a população.

  10. João, num vem medir o Partido dos Trabalhadores com a sua régua.
    A taxação de fortunas tá quase pronta, hehehe.
    E vai pentear macaco.

  11. Fica difícil o Sr. Arruda falar em incoerência partidária quando o seu próprio partido, o PMDB,se mostra em absoluta contradição no âmbito da votação da lei que confisca a previdência do funcionalismo público do Paraná. Só para refrescar a nossa memória:
    Votaram a favor da lei:
    Alexandre Curi (PMDB)
    Artagão Jr. (PMDB)
    J. Guimarães(PMDB)
    Romanelli (PMDB)

    Votaram contra:

    A. Bier (PMDB)
    Anibelli Neto (PMDB)
    Nereu Moura (PMDB)
    Requião Filho (PMDB)

    A incoerência partidária, portanto, não é um sintoma isolado que aflige este ou aquele partido, é uma mazela da própria política brasileira que sofre pela falta de caráter dos partidos. No entanto, parabenizo o PMDB por iniciar um processo muito singular de disciplina hierárquica dentro do partido e espero profundamente que ele seja levada às últimas consequencias aqui no Paraná.

  12. SURGINDO ALGUÉM COERENTE, QUE BOM!

  13. PT, PSDB e PMDB votaram contra o trabalhador, pois o PMDB votou quase na totalidade a favor da Terceirização, onde o Deputado Federal alega que “Uma vez que a lei da terceirização afrontam direitos resguardados pela Constituição Brasileira”.

  14. Ninguém está contra os trabalhadores, se está contra o tal “jeitinho”, por exemplo, de uma garotona ou um garotão de 21 anos se casar, respectivamente, com uma anciã ou um ancião de 98 anos que, em seguida, “compra o coringa” e ela ou ele, com 21 aninhos, fica com a pensão pelo resto de suas vidas. Enfim, evitar o golpe da pensão, entre outros jeitinhos!

  15. Sr. João Arruda, o senhor. Não faça politicagem por favor, para sair de bom moço! Vc muito bem sabe que esses ajustes eram necessários e não retira nenhum direito do trabalhor, apenas cria critérios que dificultam a malandragem em cima do dinheiro publico como acontece muito por ai.
    O prazo aprovado para o primeiro pedido do seguro desemprego é de 12 e não 18 meses como o senhor informa no seu texto, após seriam 9 e 6 meses. É muito fácil pegar uma questão polemica e apresentar dados errados, para ficar ao lado da opinião publico, o difícil é fazer politica séria e com vontade de mudar a vida dos brasileiros, pq vc’s ai em cima, são uns sanguessugas e estão cagando para povo!

    • E tem mais uma coisa, em vez de ficar ai arrotando sua ignorância na nossa cara, vai lá interpelar ao presidente da câmara (Eduardo Cunha) que é seu correligionário para para de foder o povo brasileiro!
      Pq a gente tá aqui observando a coerência de um partido (PMDB) que na esfera federal aprova terceirização e incêndio de shopping no RJ como catástrofe ambiental, obrigando o BNDES emprestar 50 milhões de reais a juros irrisórios!

  16. UAI, UAI …
    Tem nexo, mas meio oportunista, pois não refere-se à posição da bancada do seu partido, o PMDB, que tal qual bolo fecal, sem boia. Ou seja, entra governo, sai governo, o PMDB está sempre com cargos.
    Fala aí, JA, conta como vc votou lá e como orientou o voto ká.
    E chega de churumelas, ou como está em moda, chega de mi mi mi

  17. E vamos falar de coerência João? No PMDB existe isso?
    Se o PMDB assumisse-se de UM LADO SÓ, nada disso estaria acontecendo.

    Bom dia.

    • PMDB, PT, PSDB e outros são coerentes sim. Fazem as mesmas manobras políticas, esquecem o povão,fazem nepotismo, estão todos os dias em escândalos que mostram sujeira que não aparece de um lado só…São sim muito coerentes. Se temos uma classe de filhotes da ditadura, temos agora já estabelecida os ratos da democracia que estão se expandindo. E o povo vota.

  18. Caro deputado, argumento generico, mas nem de longe são as mesmas coisas.