Dilma define 13 ministros em busca de estabilidade política

do Brasil 247
dilma_lulaA presidente Dilma Rousseff deu impulso ao seu novo governo, com o anúncio de 13 novos nomes do primeiro escalão que tomará posse em 1!º de janeiro. Eis a lista que acaba de ser divulgada pelo Palácio do Planalto:

1 – Jacques Wagner (Defesa)
2 – Gilberto Kassab (Cidades)
3 – Nilma Lino Gomes (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)
4 – Valdir Simão (Controladoria Geral da União)
5 – Vinicius Lajes (Turismo)
6 – Aldo Rebelo (Ciência Tecnologia e Inovação)
7 – Cid Gomes (Educação)
8 – Edinho Araújo (Secretaria de Portos)
9 – Eduardo Braga (Minas e Energia)
10 – Eliseu Padilha (Secretaria de Aviação Civil)
11 – George Hilton (Esporte)
12 – Kátia Abreu (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)
13 – Helder Barbalho (Secretaria de Aquicultura e Pesca)

Fica claro no conjunto das escolhas que a presidente adotou a estratégia de agregar chefes partidários ou figuras de expressão em suas agremiações. à‰ uma primeira leva que forma um ministério eminentemente político. Há surpresas, como o peemedebista paulista Edinho Araújo, na Secretaria dos Portos, e a substituição de Moreira Franco por Eliseu Padilha, na Secretaria de Aviação Civil. Os novos nomes mostram que a presidente procurou respeitar as consultas políticas feitas com o vice Michel Temer e o presidente do Senado, Renan Calheiros, em nome do PMDB.

Na busca por caciques que podem fazer a diferença, com seus deputados e senadores, em votações importantes no Congresso, Dilma confirmou a presença de Gilberto Kassab, em Cidades, e contemplou Cid Gomes, do Pros, que tem o projeto de fortalecer uma frente partidária de esquerda para fortalece-la.

No PT, a presidente fixou-se, agora, no governador da Bahia, Jaques Wagner, anunciado na Defesa, mas novos nomes, como o do ministro Ricardo Berzoini e do deputado Pepe Vargas, devem aparecer na próxima leva de anúncios. Uma troca foi feito com o PCdoB, mudando Aldo Rebelo do Esporte para a Ciência e Tecnologia. Dilma quer ter todo o ministério anunciado até o dia 29.

A opção da presidente foi, claramente, pela estabilidade política. Ela está procurando dar espaço a todos os partidos aliados, por meio de nomes que são de sua confiança ou tiveram forte respaldo dos comandos de seus próprias legendas. à‰ possível, como reflexo direto, até mesmo enfraquecer a oposição parlamentar, à  medida em que ela mesma ganha novos porta-vozes na defesa de sua administração.

Não dá para negar, por exemplo, que novos ministros como Wagner, Cid, Kassab e Padilha, de quatro partidos diferentes – PT, PROS, PSD e PMDB -, sempre foram bons debatedores, alternando capacidade defender seus pontos de vista e não se dobrar a adversários. Em tempos de turbulências na política e incertezas na economia, com um novo Congresso, mais hostil ao governo, se preparando para assumir, contar com políticos desse perfil ao lado será, sem dúvida, um trunfo para Dilma e a governabilidade de interesse dela e do País.

Abaixo, notícia do Blog do Planalto a respeito:

Dilma anuncia novos nomes do seu ministério

A presidenta Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira (23) novos nomes do seu ministério. São eles:

Aldo Rebelo (Ciência Tecnologia e Inovação); Cid Gomes (Educação); Edinho Araújo (Portos); Eduardo Braga (Minas e Energia); Eliseu Padilha (Aviação Civil); George Hilton (Esporte); Gilberto Kassab (Cidades); Helder Barbalho (Pesca e Aquicultura); Jaques Wagner (Defesa); Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento); Nilma Lino Gomes (Políticas de Promoção da Igualdade Racial); Valdir Simão (Controladoria-Geral da União); e Vinícius Laje (Turismo).

A presidenta agradeceu a dedicação dos ministros:

Celso Amorim (Defesa); Cesar Borges (Portos); Clélio Campolina Diniz (Ciência, Tecnologia e Inovação); Edison Lobão (Minas e Energia); Eduardo Lopes (Pesca e Aquicultura); Gilberto Occhi (Cidades); Henrique Paim (Educação); Jorge Hage (CGU); Luiza Bairros (Políticas de Promoção da Igualdade Racial); Moreira Franco (Aviação Civil); e Neri Geller (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

A posse dos novos ministros será realizada no dia 1!º de janeiro.

Comentários encerrados.