Coluna do Marcelo Araújo: Uma retrospectiva do fracasso de Fruet

araujo_burrina_fruet.jpgMarcelo Araújo*

No último artigo do ano, eu gostaria de agradecer a todos que tiveram paciência de lê-los e dedicaram algum tempo para enviar comentários, independentemente de concordar ou não comigo, pois afinal quem se expõe publicamente seu pensamento está sujeito a elogios e críticas.

O que me deixa modestamente envaidecido é que NENHUM comentário divergente fez qualquer reparo ou correção no conteúdo do que foi escrito, limitando-se a críticas pessoais.

Achei oportuna uma retrospectiva de assuntos que merecem atenção e satisfação para a população, diante de uma postura silente e omissa do prefeito Gustavo Fruet. Vamos lá:

– O caso do vandalismo praticado pelo Coordenador de Mobilidade e Presidente da JARI da Setran, besuntando com graxa veículos estacionados irregularmente;

– O caso das 60 mil notificações que foram canceladas após denunciarmos a perda de prazo no seu envio. A prefeitura jogou a culpa nos Correios, dizendo que não cumpriram o contrato devido a uma fatura não paga mas não se tem notícia de nenhuma ação contra os Correios buscando reparar o prejuízo. Já os Correios preferiam o silêncio a falar que na verdade a prefeitura pecou ao não renovar o contrato em tempo e o fez com data retroativa;

– O concurso para novos agentes de trânsito, que na época movimentou o Executivo e o Legislativo para criação do cargo a tempo de exercerem sua atividade durante a Copa do Mundo. Não saiu nem vai sair e se os atuais são mantidos nas mesmas condições da gestão anterior é porque entendeu-se que a cessão e credenciamento feitos na gestão anterior estavam regulares;

– A licitação dos radares, que nem continuou nem parou, mas deixou de ser assunto de destaque, e continua normalmente o pagamento mensal pela ocupação dos equipamentos feita na gestão anterior, o que também demonstra que foi a melhor solução e está regular; e

– As multas dos guinchos na Linha Verde, cujos autuados foram orientados a fazer defesa as quais seriam deferidas e até agora estão indefinidos. Ao que se sabe acumulam-se quase 50 mil processos de defesa sem decisão na Setran.

Aprendi com meu pai que não se deve buscar qualidades nos defeitos dos outros, mas há um fato que não pode ser negado: há mais cobrança de quem você considera ser melhor, e isso vale para jogador de futebol, tênis, etc., corredor (a pé, de bicicleta, carro ou moto), e a partir de agora até surfista como Rafael Medina.

Há uma tendência de compaixão por quem é ruinzinho, mas esforçadinho, que chega no último lugar, que completa a prova. Qualquer semelhança entre a atual gestão municipal e a anterior não é mera coincidência.

Feliz Ano Novo!

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

Comentários encerrados.