Coluna do Rocha Loures: Cidades inovadoras são as que priorizam as pessoas

90% da população brasileira vive em cidades, logo o desenvolvimento do Brasil nada mais é que a soma do desenvolvimento de suas cidades!, filosofa neste domingo, em sua coluna, Rocha Loures, ao falar sobre inovação dos municípios e de suas características peculiares; para as cidades serem consideradas inovadoras, explica o colunista, é imperativo a adoção de políticas públicas fomentadoras de boas soluções de governabilidade, de infraestrutura, educação, mobilidade, saúde, lazer e empreendedorismo; Além de valorizar, atrair e reter talentos, as cidades devem constituir alicerces sólidos baseados em quatro eixos - Educação, Tecnologia, Sustentabilidade e Cidadania Plena!; leia o texto e compartilhe.

90% da população brasileira vive em cidades, logo o desenvolvimento do Brasil nada mais é que a soma do desenvolvimento de suas cidades!, filosofa neste domingo, em sua coluna, Rocha Loures, ao falar sobre inovação dos municípios e de suas características peculiares; para as cidades serem consideradas inovadoras, explica o colunista, é imperativo a adoção de políticas públicas fomentadoras de boas soluções de governabilidade, de infraestrutura, educação, mobilidade, saúde, lazer e empreendedorismo; Além de valorizar, atrair e reter talentos, as cidades devem constituir alicerces sólidos baseados em quatro eixos – Educação, Tecnologia, Sustentabilidade e Cidadania Plena!; leia o texto e compartilhe.

Rodrigo da Rocha Loures*

O futuro de uma cidade está relacionado pelo menos a três importantes aspectos: qualidade do seu planejamento, definição de estratégias claras de implementação e o engajamento dos seus cidadãos.

Assim como as pessoas, as cidades também formam suas próprias personalidades, de acordo com sua história, qualidade da gestão pública e a índole de seus habitantes. São traços que irão marcar o município na sua trajetória de desenvolvimento. Curitiba já foi chamada de cidade modelo!, cidade sorriso! e de capital ecológica!, assim como Maringá, de cidade canção!, e Apucarana de a capital do boné!.

O desafio está em como preservar as importantes tradições de cada cidade, ampliar o bem estar, atender as demandas existentes e especialmente antecipar-se à s demandas futuras. à‰ aqui que entra o fomento à  cultura de inovação enquanto estratégia central de desenvolvimento sustentável.

Para as cidades serem inovadoras, é imperativo a adoção de políticas públicas fomentadoras de boas soluções de governabilidade, de infraestrutura, educação, mobilidade, saúde, lazer e empreendedorismo. Os modelos de planejamento e gestão municipal devem levar em conta que as cidades vão permanentemente sofrer mudanças e que a promoção do bem estar é um processo assertivo, concebido para o futuro, muito além das necessidades do momento atual.

Cidades inovadoras são as que entendem que a sua essência reside nas pessoas, as verdadeiras responsáveis pela constituição de um cenário desenvolvido, criativo, democrático e humanizado. 90% da população brasileira vive em cidades, logo o desenvolvimento do Brasil nada mais é que a soma do desenvolvimento de suas cidades.

Além de valorizar, atrair e reter talentos, as cidades devem constituir alicerces sólidos baseados em quatro eixos – Educação, Tecnologia, Sustentabilidade e Cidadania Plena. Essa é a base para um futuro próspero. Vou discorrer mais sobre cada um desses eixos estruturantes em minhas próximas contribuições, aqui neste espaço.

*Rodrigo da Rocha Loures é presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade !“ IBQP e ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná !“ Fiep (2003/2011). Escreve nos domingos.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O que precisa ser feito ,todos nós já sabemos,cidades e programas que são modelos para serem copiados, existem aos montes no mundo,dinheiro tem de sobra
    O que falta é seriedade e vontade política

  2. Retórica. É só isso que presenciamos em ano eleitoral. Até quando? Acorda povo!!!!!