Richa adota política do “não tem tu vai tu mesmo” e pode repetir Arns na vice

Publicado em 22 junho, 2014
Compartilhe agora!

Estrategistas do Palácio Iguaçu adotam discurso do "não tem tu vai tu mesmo" para driblar crise na escolha do vice na chapa de Richa; Ratinho Júnior, do PSC, refugou tarefa, mas veta Cida Borghetti em nome do seu próprio futuro próximo de 2018; fórmula para conter desarranjo no ninho tucano seria repetir Flávio Arns na chapa, que em caso de reeleição voltaria à  Secretaria da Educação.
Estrategistas do Palácio Iguaçu adotam discurso do “não tem tu vai tu mesmo” para driblar crise na escolha do vice na chapa de Richa; Ratinho Júnior, do PSC, refugou tarefa, mas veta Cida Borghetti em nome do seu próprio futuro próximo de 2018; fórmula para conter desarranjo no ninho tucano seria repetir Flávio Arns na chapa, que em caso de reeleição voltaria à  Secretaria da Educação.
O governador Beto Richa (PSDB), que contava com o apoio do PMDB como aquele que contava com o ovo já na cloaca da galinha, está com problemas sérios para escolher o vice na sua chapa.

A primeira opção, o deputado Ratinho Júnior (PSC), refugou. Avisou que não aceita a vice nem que a vaca tussa arroz doce.

A deputada Cida Borghetti (PROS), esposa do ex-secretário Ricardo Barros (PP), seria a segunda possibilidade do governador tucano. Entretanto, a moça causa desarranjos no ninho. Ratinho e parte do aliado PSB de Severino Araújo pulariam para o barco do senador Roberto Requião (PMDB).

Ratinho não quer a vice, mas vê a família Barros como ameaça concreta em 2018. O rapaz também sonha com o Palácio Iguaçu daqui a 4 anos.

O deputado Eduardo Sciarra (PSD) oscila entre coligar com Richa e a senadora Gleisi Hoffmann (PT). O partido de Kassab permanecerá como se fosse biruta de aeroporto até 30 de junho.

O Blog do Esmael soube que os estrategistas de Beto Richa podem repetir Flávio Arns na vice, pois entendem que o melhor vice é aquele que não atrapalha. O tucano também voltaria para a Secretaria de Estado da Educação (SEED), em caso de reeleição.

Compartilhe agora!

Comments are closed.