Por Esmael Morais

Coluna do Ademar Traiano: Paraná se une para dar resposta imediata a tragédia das chuvas

Publicado em 11/06/2014

Ademar Traiano, nesta quarta, baixa as armas em nome da solidariedade à s vítimas das enchentes no Paraná; segundo a Defesa Civil, 10 paranaenses morreram em decorrência das chuvas e 55 mil pessoas foram afetadas no estado; colunista relata força-tarefa encabeçada pelo governador Beto Richa e pela primeira-dama Fernanda Richa; "O governo do Paraná está lutando, com todas as suas forças, para reduzir os prejuízos e amenizar o sofrimento da população", relata o guru ideológico do Palácio Iguaçu; leia o texto e compartilhe.

Ademar Traiano, nesta quarta, baixa as armas em nome da solidariedade à s vítimas das enchentes no Paraná; segundo a Defesa Civil, 10 paranaenses morreram em decorrência das chuvas e 55 mil pessoas foram afetadas no estado; colunista relata força-tarefa encabeçada pelo governador Beto Richa e pela primeira-dama Fernanda Richa; “O governo do Paraná está lutando, com todas as suas forças, para reduzir os prejuízos e amenizar o sofrimento da população”, relata o guru ideológico do Palácio Iguaçu; leia o texto e compartilhe.

Ademar Traiano*

Chuvas catastróficas, as piores da história, atingiram o Paraná nos últimos dias. 77 municípios já foram declarados em estado de emergência. Nesta terça-feira, outros 50, incluindo a capital, foram colocados nessa categoria.

A dimensão da catástrofe pode ser avaliada por números terríveis. Nove mortos, seis desaparecidos, quase um terço de todos os municípios do estado foi gravemente atingido pela força destrutiva das chuvas, mais de 400 mil pessoas afetadas e 50 municípios ficaram sem água.

Pontes e estradas foram destruídas, casas e cidades inteiras foram alagadas. As enchentes de 2014 já são consideradas uma das maiores tragédias da história do Paraná. O sofrimento das pessoas, muitas perderam tudo o que conseguiram durante uma vida inteira de lutas, é uma tragédia que não tem como ser avaliada.

Fenômenos naturais dessa magnitude – em questão de horas, choveu o esperado para um mês inteiro – são difíceis de prevenir e minimizar o sofrimento provocado na população atingida depende da pronta reação das autoridades.

O governador Beto Richa imediatamente interrompeu sua agenda de trabalho e percorreu pessoalmente os municípios atingidos pelas chuvas do fim de semana. Richa foi a Guarapuava, Pinhão, Cruz Machado, União da Vitória, Prudentópolis, Irati e Porto Amazonas.

No retorno a Curitiba Beto assinou decreto reconhecendo a situação de emergência em 77 cidades. O decreto garante agilidade e elimina burocracias para que os prefeitos tenham condições de usar recursos públicos para atenuar a situação, para recompor cidades, recuperar acessos e socorrer as pessoas que estão em situação de dificuldades.

O decreto foi encaminhado ao Ministério da Integração Social, para que os municípios possam receber apoio também do governo federal e ter acesso a recursos do Banco Mundial.

A Secretaria da Saúde liberou de mais de R$ 5 milhões para que os prefeitos possam contratar mais profissionais, pagar horas extras, para que a população não fique desassistida em nenhum momento, nem de madrugada. Foram enviadas vacinas, remédios para gripe e medicamentos para prevenir doenças comuns após enchentes.

A área da infraestrutura e logística já detectou os pontos em rodovias com pavimento deteriorado, barreiras, pontes prejudicadas e as ações para normalizar o tráfego já estão em andamento. O governo colocou toda sua estrutura, especialmente nos setores de infraestrutura, saúde, agricultura, habitação, assim como a Sanepar e a Copel, para que as pessoas sejam atendidas com toda a urgência.

Na área de saúde, além de encaminhar vacinas e kits de equipamentos médicos aos municípios, estão sendo liberados R$ 6 milhões, do programa VigiaSus, para a compra de medicamentos, contratação e pagamento de hora extra a profissionais de saúde. O repasse desses recursos estava programado para o meio do ano e foi antecipado.

O governo colocou a disposição do atendimento da população aviões e helicópteros do Estado para apoiar resgates e atendimento de fragelados. As Patrulhas do Campo atendem comunidades rurais afetadas, enquanto a Fomento Paraná dá apoio aos empresários atingidos pelas cheias.

A secretaria da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, mobilizou todos os recursos de sua pasta e visitou pessoalmente as regiões mais atingidas pelas do último final de semana em Curitiba, onde mais de 15 mil pessoas foram afetadas pelos alagamentos. A Secretaria da Família, a Defesa Civil e o Provopar tocam uma grande campanha para arrecadação de donativos.

O governo do Paraná está lutando, com todas as suas forças, para reduzir os prejuízos e amenizar o sofrimento da população.

*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo Beto Richa na Assembleia Legislativa. Ele escreve à s quartas-feiras sobre governo e parlamento.