Sem papas na língua, Requião manda Globo e Veja pra ‘Puta Que Pariu’

Requião perdeu a paciência com a velha mídia e mandou Veja e Globo para a 'Puta Que Pariu'; pelo Twitter, senador paranaense chamou de safado! um repórter da Globo que o incluía entre investigados por corrupção; "mando agora o Augusto Nunes da Veja!, registrou no microblog; peemedebista aproveitou para pedir à  Câmara que aprove, amanhã, projeto de sua autoria sobre direito de resposta.

Requião perdeu a paciência com a velha mídia e mandou Veja e Globo para a ‘Puta Que Pariu’; pelo Twitter, senador paranaense chamou de safado! um repórter da Globo que o incluía entre investigados por corrupção; “mando agora o Augusto Nunes da Veja!, registrou no microblog; peemedebista aproveitou para pedir à  Câmara que aprove, amanhã, projeto de sua autoria sobre direito de resposta.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) anda à s turras com a Veja e Globo, que tentam colocá-lo no rol de parlamentares processados por corrupção. Redes sociais reverberam nesta terça (13) que o peemedebista mandou repórter da Globo, que o abordou na saída do plenário, para ‘Puta Que Pariu’.

Em setembro do ano passado, do plenário, Requião classificou reportagem d’O Globo como ‘molecagem’ dos filhos de Roberto Marinho — o dono da Globo já morto. A matéria Embargos infringentes podem beneficiar 84 parlamentares no STF! incluía o senador na lista dos possíveis beneficiados! em ações penais que tramitam no Supremo Tribunal Federal.

Em fevereiro deste ano, Requião pediu cessação imediata dos direitos da Globo sobre a Globo São Paulo, adquirida em processo de deslavada fraude, como comprovado na Justiça. O requerimento destaca as ilegalidades cometidas à  época, que prejudicaram 672 acionistas da antiga TV Paulista, hoje TV Globo.

Na semana passada, Requião comemorou vitória judicial contra o jornalista Ricardo Boechat, da Band e da rádio BandNews, condenado a seis meses e 16 dias de prisão por ofendê-lo e caluniá-lo.

“Se nossos deputados federais votarem amanhã o direito de resposta o Brasil porá freio na imprensa marrom”, defendeu Requião, cujo projeto foi aprovado pelo Senado.

Comentários encerrados.