Lerner reúne crias políticas, Fruet e Richa, em evento da ACP

Este blog vem mostrando, há dias, certa sintonia fina entre Richa e Fruet; ontem, porém, fizeram teste de DNA e comprovaram serem filhos políticos de Jaime Lerner; prefeito e governador veneraram o homem considerado o pior governador que o Paraná já teve; talvez seja desbancado pelo tucano em breve; ex-governador foi homenageado pela Associação Comercial do Paraná, antro do conservadorismo e vanguarda do atraso no estado, no decadente Clube Curitibano.

Este blog vem mostrando, há dias, certa sintonia fina entre Richa e Fruet; ontem, porém, fizeram teste de DNA e comprovaram serem filhos políticos de Jaime Lerner; prefeito e governador veneraram o homem considerado o pior governador que o Paraná já teve; talvez seja desbancado pelo tucano em breve; ex-governador foi homenageado pela Associação Comercial do Paraná, antro do conservadorismo e vanguarda do atraso no estado, no decadente Clube Curitibano.

A Associação Comercial do Paraná (ACP), antro do conservadorismo e do atraso, concedeu ontem (2) a Comenda Barão do Serro Azul ao ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná Jaime Lerner.

Lerner reuniu suas crias políticas, o atual governador Beto Richa (PSDB) e o atual prefeito Gustavo Fruet (PDT). Os dois são a certeza de que o lernismo há de continuar.

Para quem não se recorda, Lerner implantou o pedágio nas rodovias do estado; privatizou o Banestado; sucateou a Copel para vendê-la a preço vil; destruiu a educação pública; dentre outras barbaridades que cometeu entre (1995-2003).

Nas eleições de 2010 e 2012, todos os candidatos, a governador e prefeito, respectivamente, juravam que nada tinham a ver com Lerner… O ex-governador, em ato de bom-humor e esperteza política, chegou a distribuir atestado de “não lernista” a quem interessasse.

Terminadas as eleições municipais, Fruet e Richa fizeram as pazes. Prefeito e governador pararam com críticas mútuas e adotaram o discurso da cooperação (clique aqui). Parecem agora dois irmãos que brigaram, mas que se recompuseram.

Quanto à  ACP, a entidade foi contra o feriado da Consciência Negra na capital paranaense — gesto ruim para a história e para os afrodescendentes curitibanos.

Comentários encerrados.