Especialista também reprova campanha de trânsito de Richa

Compartilhe agora!

Advogado Marcelo Araújo especialista em trânsito, nesta segunda, analisa campanha de trânsito lançada pelo governo Beto Richa; como pau que bate em Chico também bate em Francisco!, o colunista viu graves falhas na propaganda tucana; motociclista com farol apagado comete falta gravíssima; aliás, as agências de propaganda que atendem ao Palácio Iguaçu são as mesmas que atendem ao Palácio 29 de Março, sede da prefeitura de Curitiba; para o colunista, as autoridades de trânsito e da propaganda tanto do governo do estado quanto da prefeitura da capital estão reprovadas.
Advogado Marcelo Araújo especialista em trânsito, nesta segunda, analisa campanha de trânsito lançada pelo governo Beto Richa; como pau que bate em Chico também bate em Francisco!, o colunista viu graves falhas na propaganda tucana; motociclista com farol apagado comete falta gravíssima; aliás, as agências de propaganda que atendem ao Palácio Iguaçu são as mesmas que atendem ao Palácio 29 de Março, sede da prefeitura de Curitiba; para o colunista, as autoridades de trânsito e da propaganda tanto do governo do estado quanto da prefeitura da capital estão reprovadas.
Por Marcelo José Araújo*

O caso da tentativa de fraude das multas por parte da Prefeitura teve mais alguns capítulos. Depois que a minha coluna deu com as esporas no bucho, a coisa desempacou um pouco e a relação com milhares de autuações foi disponibilizada dois dias depois da nossa cobrança, e aparentemente canceladas do cadastro. Foi dito que já haveria medida judicial contra os Correios, mas parece enterro de anão (não aquele da eleição, tadinho!), mas os advogados dos Correios agradeceriam, pois os honorários de sucumbência viriam ser fazer esforço.

O outro capítulo foi a tão aguardada visita! da Secretária na Câmara Municipal, inicialmente pedida sua convocação pelo vereador José Carlos Chicarelli, transformou-se em convite. E o convite foi para uma reservada visita na sala do presidente da Câmara, sem muito alarde, sem divulgação, sem satisfação aos cidadãos, numa ação para tentar neutralizar o intento do vereador Chicarelli, que parece ser o único a ter enxergado a dimensão dos prejuízos dessa tentativa de fraude. Pelo jeito, em breve será aberta licitação para compra de tapetes e vassouras.

Foi lançada a aguardada campanha de trânsito do Governo Estadual, e as comparações em relação à  da Prefeitura são inevitáveis. Ambas tiveram inspiração no passado, sendo a Vó Gertrudes no curta de 2004 “Vovó vai ao Supermercado”, com Lala Schneider, e a do Estado nos bichos que fizeram tanto sucesso, mas sem rotulagem.

Assista ao vídeo com a campanha do Governo do Estado:

As campanhas de trânsito ou seguem uma linha agressiva ou suave, entendendo a primeira como imagens trágicas e não agressividade como já demonstrou a impaciente Vó Gertrudes. A do Governo do Estado optou pelo sorriso e simpatia, sem agressividade e bem humorada. Ela é relativamente rápida (31 segs) e não é rebuscada, o que não permite encontrar erros de continuidade.

O foco principal da campanha são os acidentes com motocicletas e um dos fatores que colaboram nessa estatística é o fato do motociclista não ser visto. Nesse aspecto, a campanha se torna um pouco emblemática, pois pergunta para o motorista dos demais veículos o que o motociclista deve fazer para ser visto, quando a pergunta que deveria ser feita ao motociclista era o que ele está fazendo para ser visto pelos motoristas!, a começar pela manutenção do farol aceso tanto de dia quanto de noite, algo aparentemente esquecido pelos bichos motociclistas.

Como a motocicleta, por suas dimensões e versatilidade, facilmente ocupa pontos cegos de visão não só de motoristas de veículos pequenos e médios, mas especialmente os de grande porte como ônibus e caminhões.

Entendo que na questão da percepção do motociclista, cabe mais a este certificar-se que está sendo visto (e por isso a luz acesa durante o dia para ser visto e não para ver), agravada pela possibilidade da ocupação dos corredores formados entre os demais veículos, o que não é proibido.

Por fim em breve ficará conhecida a cruzada que está sendo travada entre o deputado federal Marcelo Almeida com os simuladores de direção, cuja previsão é que sejam exigidos nos CFC (autoescolas), a partir do ano que vem, pretensão que poderá ser frustrada pelas ações do parlamentar. Em breve, as razões serão conhecidas em todo o país. Aguarde.

De multa eu entendo!

*Marcelo José Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

Compartilhe agora!

Comments are closed.